Japão

Ex-líder da Nissan/Renault libertado sob caução

Ex-líder da Nissan/Renault libertado sob caução

Carlos Ghosn, antigo líder dos construtores automóveis Nissan e Renault, afirmou-se "inocente" e determinado a "defender-se vigorosamente", após a confirmação no Japão da sua libertação sob fiança.

"Estou infinitamente grato à minha família e amigos que me apoiaram nesta terrível provação", declarou Carlos Ghosn num comunicado divulgado em Paris, depois de ter sido anunciado em Tóquio que um tribunal rejeitou um recurso do Ministério Público e confirmou a libertação sob caução do ex-líder da Nissan/Renault, detido há mais de 100 dias.

"Agradeço igualmente às associações e ativistas dos direitos humanos no Japão e no mundo que lutam pelo respeito da presunção de inocência e pela garantia de um julgamento justo", acrescentou.

O advogado de Ghosn, Junichiro Hironaka, tinha declarado antes à comunicação social que, tendo em conta os horários dos bancos em Tóquio, não seria possível reunir hoje a soma exigida pelo tribunal de mil milhões de ienes (8 milhões de euros), remetendo o procedimento para quarta-feira.

Em conferência de imprensa, o advogado disse ainda que para Ghosn, que passou mais de 100 dias na prisão, a decisão do tribunal é "uma coisa boa".

Carlos Ghosn foi detido em novembro em Tóquio por suspeitas de fraude fiscal e de abuso de confiança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG