Supervisão

Ex-líder do Montepio arrisca-se a pagar mais 7,5 milhões em multas

Ex-líder do Montepio arrisca-se a pagar mais 7,5 milhões em multas

O Banco de Portugal não conseguiu notificar na sua morada Tomás Correia, antigo presidente do Banco Montepio (2008 a 2015) e também da Associação Mutualista Montepio Geral (2008 a 2019), para o acusar de uma série de ilícitos cujas coimas variam entre um mínimo de 9000 euros e um máximo de 7,5 milhões de euros.

Aquele valor soma-se a uma multa de 1,25 milhões a que o ex-banqueiro já foi condenado pelo BdP e que o Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão anulou em setembro, estando atualmente sob recurso do supervisor. O próprio Banco Montepio foi condenado nesse processo a uma coima de 2,5 milhões. O BdP apontou, na altura, várias infrações relacionadas com a concessão de crédito, como violações das regras de controlo interno e incumprimento nos deveres de implementação de um mecanismo preventivo.

Uma vez que não conseguiu notificar o acusado, mesmo após o recurso à Polícia, o BdP resolveu publicar na segunda-feira um anúncio na imprensa sob o título "Notificação de acusação. Processo de contraordenação n.º 45/17/CO".

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG