Compras

Famílias saem mais à rua mas reforçam compras no supermercado

Famílias saem mais à rua mas reforçam compras no supermercado

A população começou a sair à rua mas, em abril, as famílias continuaram a reforçar as suas compras no supermercado, como o faziam durante o confinamento: num mês gastaram 809 milhões de euros, mais 16 milhões do que há um ano.

Já de janeiro até 25 de abril, os portugueses gastaram 3,221 mil milhões de euros em produtos de grande consumo, uma subida 4,6% em relação a igual período de 2020.

Na prática, em quatro meses gastou-se mais 141 milhões do que os 3,080 mil milhões acumulados há um ano, apesar de na época, entre março e maio, o país ter recolhido a casa, levando a uma subida de 11,6% nas compras no retalho alimentar, face a 2019, segundo o Market Track da NielsenIQ.

Mas nem todas as categorias beneficiaram deste aumento de procura. As bebidas voltaram a ganhar destaque nas opções de compra: é a que mais cresce (+21,6%), depois de em março já ter registado uma subida de 30,2%.

Se em março, com o país confinado, a higiene pessoal foi a categoria que mais recuou face a igual mês do ano passado (-18,9%), em abril foi das que mais cresceu: 9,5%. Na alimentação, as compras caíram 2,8%. A reabertura dos restaurantes poderá explicar esta evolução negativa na procura.

Maio arranca em alta

Já na primeira semana de maio, dizem os dados da ReUniq, que monitoriza os pagamentos em cartão eletrónico, os negócios portugueses registam uma subida de 17% face a valores pré-pandemia (mesma semana de 2019). Uma evolução positiva que não se faz sentir na faturação proveniente de cartões estrangeiros, que se manteve em quebra (-65%) nesse período.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG