Fernando Nobre

Fernando Nobre diz que medidas de austeridade penalizam portugueses pobres e remediados

Fernando Nobre diz que medidas de austeridade penalizam portugueses pobres e remediados

O candidato presidencial Fernando Nobre criticou hoje, sábado, as medidas de austeridade do Governo, considerando que penalizam os portugueses mais pobres e os que estão ligeiramente acima do limiar da pobreza.

"Ninguém questiona a necessidade de o país adoptar medidas correctivas, o que me questiono é sobre temas específicos como a questão da não existência de uma discriminação positiva ao nível do IVA e do IRS", disse.

O candidato presidencial, que hoje, sábado, inaugurou a sua primeira sede de campanha, em Leiria, defende que os portugueses que ganham menos de 700 euros não devem sofrer qualquer penalização em matéria de IRS, propondo ainda um corte de 10% nos salários superiores a 10 mil euros.

O Governo anunciou na quinta-feira um conjunto de medidas de austeridade para acelerar a redução do défice para 7,3% em 2010 e 4,6% em 2011.

Entre as medidas, negociadas com o PSD, estão o aumento das três taxas do IVA em 1 ponto, a criação de uma taxa extraordinária sobre as empresas com um lucro tributável acima de dois milhões de euros de 2,5% e a redução de 5% nos salários dos políticos, gestores públicos e membros das entidades reguladoras.

Por outro lado, Fernando Nobre advoga que não deveria ser agravado o IVA nos produtos de primeira necessidade, uma vez que este aumento de 5% para 6% penalizará a população mais pobre.

"Não nos podemos esquecer que Portugal tem 18% de pobres e que outros 20% estão ligeiramente acima do limiar da pobreza", disse.

Na opinião de Fernando Nobre, estas medidas penalizam uma percentagem significativa da população portuguesa que vive de forma remediada.

Já relativamente ao corte de 5% nos salários dos políticos, gestores públicos e membros das entidades reguladoras, Fernando Nobre considera que é insuficiente, defendendo que este corte deveria ser de pelo menos 10%, para que fosse dada uma mensagem mais motivadora aos portugueses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG