O Jogo ao Vivo

Energia

Fiscalidade na luz é a terceira mais elevada da Europa

Fiscalidade na luz é a terceira mais elevada da Europa

Taxas e impostos no país pesam 47% na fatura da eletricidade paga pelos portugueses.

As famílias portuguesas são das que mais pagam em taxas e impostos na fatura da luz em toda a Europa. Segundo o Eurostat, esta componente pesa 47% na fatura mensal de eletricidade dos clientes domésticos; acima desse valor só os dinamarqueses e os alemães, países onde esta parcela vale 67% e 52%, respetivamente.

Na fatura do gás, os impostos em Portugal pesam 27%, sendo esta a quinta taxa mais elevada da União Europeia. Em contrapartida, a indústria e as empresas portuguesas são das que menos impostos e taxas pagam no gás: é uma componente que apenas pesa 2% da fatura dos clientes não domésticos. Abaixo, só o Luxemburgo que cobra 1%.

Os dados são dos boletins de comparação de preços da eletricidade e do gás natural da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), com base na informação publicada pelo Eurostat, e mostram que Portugal é o 8.º país da UE com o preço mais elevado de eletricidade para consumo doméstico e o 10.º no que se refere ao gás natural. Isto, tendo por base o preço médio praticado no 2.º semestre de 2020, e que foi de 0,2259€ por quilowatt-hora no segmento doméstico e de 0,1197€ por kWh nos clientes não domésticos. Valores que representam descidas de 2,1% e de 5,4%, respetivamente, face ao preço praticado em Portugal em igual semestre de 2019.

Já na comparação com os parceiros europeus, os clientes empresariais beneficiaram de uma tarifa 6,8% abaixo da média da União Europeia, 12,3% abaixo da Zona Euro e 1,48% abaixo dos preços praticados na vizinha Espanha. No caso das famílias, a poupança foi de 6,26% face à média da Zona Euro e de 11,17% face aos consumidores domésticos espanhóis, mas 0,13% acima da média paga na União Europeia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG