PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Economia

FMI diz que aumento do salário mínimo em Portugal "foi prematuro"

FMI diz que aumento do salário mínimo em Portugal "foi prematuro"

O Fundo Monetário Internacional criticou, esta quarta-feira, o aumento do salário mínimo, considerando que a medida "foi prematura" e que demonstra que o 'ímpeto reformista' do Governo enfraqueceu depois do final do programa de ajustamento.

Numa nota sobre após a primeira missão de monitorização pós-programa, seis meses após a conclusão do resgate internacional, o FMI considera que o aumento do salário mínimo de 485 para 505 euros "foi prematuro" e demonstra que "o momento reformista, particularmente em áreas cruciais para a competitividade externa, parece ter pedido força depois do fim do programa de ajustamento".

A equipa do FMI que se deslocou a Lisboa na semana passada para analisar a proposta de Orçamento de Estado para 2015 (OE2015) considera que existem políticas "mais eficientes" para apoiar os trabalhadores com baixos rendimentos.

O Fundo admite também que o aumento do salário mínimo "pode dificultar que os trabalhadores pouco qualificados encontrem trabalho ou o mantenham".

O FMI estima uma redução da taxa de desemprego de 14,2% em 2014 (semelhante à do Governo) para 13,5% (0,1 pontos acima do inscrito no OE2015) no próximo ano e 13% em 2016.

O salário mínimo nacional foi aumentado dos 485 euros para os 505 euros no início deste mês, depois de ter estado congelado desde 2010. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), continua a ser dos mais baixos da Europa Ocidental.