Carnaval

Gaia sem tolerância de ponto no Carnaval por lealdade a Passos Coelho

Gaia sem tolerância de ponto no Carnaval por lealdade a Passos Coelho

A Câmara de Gaia vai ficar sem tolerância de ponto no Carnaval, disse, esta quinta-feira, Luís Filipe Menezes, para quem a crise justifica a decisão bem como a solidariedade e lealdade para com o partido e o primeiro-ministro.

"Esta é a realidade: eu gostaria que houvesse muitos mais feriados, mas nós ou estamos numa crise profunda ou não estamos?", afirmou o também ex-líder do PSD à margem da cerimónia de delegação de competências às juntas de freguesia de Gaia que significam um apoio de cinco milhões de euros.

Para Menezes, o país está a "atravessar a pior crise da sua história", razão pela qual é necessário "sacrificar tudo", como o feriado de Carnaval, que "não é mais do que uma ponte".

"Acho que os funcionários públicos são muito sacrificados, em Gaia também o são, mas eu não podia tomar outra atitude", defendeu.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, e conselheiro de Estado, salientou ainda ser "solidário com este primeiro-ministro e este Governo" pelo que "mesmo que discordasse da decisão do Governo" não teria a "deslealdade de não cumprir uma intenção do partido" a que pertence.

"Mesmo discordando, [da decisão] tenho de estar ao lado do Governo", frisou o autarca, que assim determinou que Gaia fica sem tolerância.

Em tom de crítica para com os que decidiram contrariar as orientações do Governo, Menezes admitiu ter ficado "espantado" ao ver que "alguns que são os arautos da austeridade e do rigor, em determinados momentos sejam menos austeros e menos rigorosos. Mas cada um é responsável pela decisão que toma".

PUB

"Era melhor que pudesse haver Carnaval para todos, era melhor que pudesse haver mais um feriado, mais uma ponte, mas ou estamos em reais dificuldades ou não estamos", sublinhou.

A 3 de Fevereiro, o primeiro-ministro, Passos Coelho, anunciou que o Governo não dará tolerância de ponto aos funcionários públicos no Carnaval, argumentando que "ninguém perceberia" que tal acontecesse numa altura em que o Executivo se propõe acabar com feriados.

Passos Coelho salvaguardou, contudo, que "o facto de poder haver municípios que têm especiais tradições na comemoração do Carnaval quererem fazer eles próprios a tolerância de ponto a nível local é uma matéria que será decidida por cada município".

Entretanto as câmaras do Porto, Lisboa, Cascais, Vila Real, Vila do Conde, todas do distrito de Évora e os governos regionais de Madeira e Açores decidiram dar tolerância de ponto no Carnaval.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG