Economia

Galiza exporta menos 10% para Portugal devido às portagens

Galiza exporta menos 10% para Portugal devido às portagens

Os empresários da Galiza estimam uma quebra que pode chegar aos 10% nas exportações para Portugal, especialmente nas indústrias têxtil e alimentar, depois da introdução de portagens nas antigas SCUT do Norte.

Os números foram divulgados em Santiago de Compostela, na quinta-feira, num encontro sobre mobilidade transfronteiriça organizado pela Confederação de Empresários da Galiza (CEG), pelo director de Relações Externas daquela região autónoma espanhola.

S egundo informou Jesús Gamallo, citado por uma nota do CEG a que a Lusa teve acesso, as portagens estão a afectar "de forma séria" a relação comercial entre as duas regiões, tanto mais que as quebras nas exportações galegas para Portugal "cifram-se entre cinco e 10 %".

A situação é "agravada" pelo facto de as exportações para Portugal representarem 1,5% do Produto Interno Bruto galego e 16% do total da produção, sublinhou o responsável do Governo Regional da Galiza.

Têxtil, indústrias alimentares, pesca e metalurgia serão, segundo Gamallo, os sectores mais afectados pelas portagens nas antigas SCUT do Norte de Portugal, que entraram em funcionamento a 15 de Outubro de 2010.

A título de exemplo, apontam o caso do têxtil, com uma quebra que pode chegar aos 2%, mas num sector em que 20% da produção tem Portugal como destino.

Na origem destas quebras os responsáveis galegos apontam o "aumento dos custos logísticos" e a diminuição dos "clientes potenciais".