crise

Governo alemão quer manutenção da austeridade nos países em crise

Governo alemão quer manutenção da austeridade nos países em crise

O Governo alemão exige aos seus parceiros da União Europeia que mantenham uma política de austeridade em vez de apoiar iniciativas destinadas a incentivar o crescimento como em Portugal e Espanha, afirma, este domingo, o jornal "Der Spiegel".

Segundo aquele semanário, um documento interno do ministério das Finanças alemão defende que a situação de debilidade económica da Zona Euro não permite que os Estados "se desviem" da linha de consolidação orçamental que, segundo Berlim, tem dado resultados positivos.

O Der Spiegel avança os exemplos dos governos português e espanhol, recordando os esforços do ministro português da Economia, Álvaro Santos Pereira, no sentido de fomentar o crescimento económico e incentivar o consumo e os investimentos.

Álvaro Santos Pereira afirmou, há duas semanas, que para Portugal conseguir "ter mais investimento nacional e investimento estrangeiro, é fundamental baixar os impostos às empresas e baixar o IRC".

O semanário alemão também cita declarações do secretário de Estado de Economia espanhol, Fernando Jiménez Latorre, a alertar para a necessidade de apoio por parte da Europa sentida pelos países mais castigados pela crise.

O Governo alemão considera, no entanto -- e de acordo com o Der Spiegel -- que a persistente debilidade do crescimento económico reflete um "processo de adaptação" na Zona Euro e diz que, por isso, não se pode responsabilizar a política de consolidação orçamental.