Estado de Emergência

Governo fixa preço das botijas de gás para as famílias

Governo fixa preço das botijas de gás para as famílias

O Governo emitiu esta quinta-feira um despacho que fixa o preço do gás engarrafado durante o estado de emergência nacional. O preço de uma garrafa de gás de 13 kg não pode custar mais de 22 euros.

O despacho, que institui a "fixação de preços máximos" para o gás engarrafado, deve-se ao aumento do preço das botijas para as famílias, registadas nos últimos dias, e que não se coadunava com a descida dos valores nos mercados internacionais.

Assim o documento assinado por Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, e por João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente, advém de uma "necessidade desta atuação preventiva".

A medida vai estar em vigor já em abril e estabelece, por exemplo, que uma garrafa GPL Butano de 13 kg não pode custar mais de 22 euros. Já uma botija de gás GPL Propano de 11 kg fica nos 22,24 euros e uma garrafa de 45kg da mesma tipologia vai custar 81,05 euros.

Caso haja alteração nos mercados internacionais, os valores do gás poderão novamente mudar através de novo despacho.

Já esta terça-feira, a Deco tinha afirmado que esperava uma redução em seis euros no preço do gás de botija até ao final de maio. Segundo a associação de defesa do consumidor, a descida do preço era expectável tendo em conta a redução do preço do petróleo desde o final de 2019.

Para a Deco, o valor médio atual de 26 euros por garrafa devia aproximar-se dos 23 euros para o mês de abril. Até ao final de maio, a botija deveria ser inferior a 20 euros, defende a associação.

Também no início deste mês, a 6 de abril, Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro) alertava em comunicado para a diferença de valores entre entre o gás engarrafado e os combustíveis líquidos.

Outras Notícias