Economia

Governo empenhado em "desafiar" as estatísticas do desemprego

Governo empenhado em "desafiar" as estatísticas do desemprego

O primeiro-ministro afirmou, esta quarta-feira, que o Governo está empenhado em fazer de 2014 um ano de recuperação e em desafiar as estatísticas do desemprego, conseguindo melhores resultados do que o previsto, como aconteceu em 2013.

"Estamos muito apostados em que este seja um ano de recuperação, em que, como no ano passado, nós consigamos de certa maneira desafiar as estatísticas e apresentar resultados que sejam melhores do que as nossas previsões - que têm sido conservadoras, é certo", declarou Pedro Passos Coelho aos jornalistas, à margem de uma iniciativa no Ministério da Segurança Social.

Segundo o primeiro-ministro, "para que o desemprego possa baixar significativamente é também necessário que a economia cresça a um ritmo mais forte do que aquele que está previsto", o que depende de "contas públicas sãs, para poder impulsionar ainda mais o crescimento da economia".

Referindo-se aos dados do Instituto Nacional de Estatística hoje divulgados, o chefe do executivo PSD/CDS-PP assinalou que "o valor do desemprego, em termos médios, em 2013 ficou significativamente abaixo daquilo que era a previsão, quase um ponto percentual abaixo".

"Isso deveu-se ao facto de, ao longo do ano, a taxa de desemprego ter descido mais do que estava inicialmente previsto. No final do ano, terminámos com uma taxa de desemprego inferior a 15,5%, terá sido 15,3%", assinalou.

O primeiro-ministro ressalvou que a taxa de desemprego em Portugal ainda é "muito elevada, sobretudo entre os jovens, apesar de ter recuado também entre o segmento mais jovem", que esse é o "principal problema social" do país e que há "muito trabalho" para fazer nesta matéria.

"Mas temos uma perspetiva para 2014 do que há um ano pensávamos que poderia existir", acrescentou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG