O Jogo ao Vivo

Economia

Grécia decide despedir 15 mil funcionários públicos

Grécia decide despedir 15 mil funcionários públicos

O Governo de unidade nacional grego chegou, esta segunda-feira, a acordo com a troika internacional para o despedimento de 15.000 funcionários públicos até ao final de 2012, anunciou o ministro da Reforma Administrativa, Dimitris Repas.

A medida foi acordada com os representantes da troika - que inclui representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI), União Europeia (UE) e Banco Central Europeu (BCE) - no âmbito das medidas de austeridade exigidas para a concessão de um novo empréstimo de pelo menos 130 mil milhões de euros e que evite um imediato incumprimento do país.

"A redução da força laboral está estritamente relacionada com a reestruturação dos serviços e da organização de cada ministério (...). Neste contexto, vão ser suprimidos cerca de 15.000 lugares do pessoal em 2012", explicou o ministro e alto responsável do PASOK num comunicado citado pela agência noticiosa Efe.

Estes 15.000 despedimentos estão incluídos num contingente mais vasto de 150.000 postos de trabalho que a Grécia deverá reduzir no sector público até 2015, de acordo com a exigência dos credores institucionais.

Os números do Ministério da Reforma Administrativa referem que a Grécia possuía 714.341 funcionários públicos no final de 2011.

No entanto, Reppas reafirmou a sua oposição aos "despedimentos indiscriminados" e assegurou que a reforma será efectuada através de uma redução do número de funcionários mas "sem prejudicar o funcionamento do Estado".