Em Atualização

Greve de trabalhadores vai parar Metro de Lisboa até às 10 horas

Greve de trabalhadores vai parar Metro de Lisboa até às 10 horas

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa cumprem, esta quinta-feira, uma greve parcial entre as 6 horas e as 9.30, por reivindicações salariais, prevendo a empresa que o serviço de transporte seja retomado a partir das 10 horas.

Segundo o sindicato, os trabalhadores estão a ser impedidos de fazerem greve no seu posto de trabalho, mas "os níveis de adesão são elevados".

Os representantes dos trabalhadores justificam a greve parcial com a discordância com a proposta de atualização salarial plurianual de 24,50 euros para os anos de 2018 e 2019, apresentada aos representantes sindicais na quarta-feira pelo Conselho de Administração da empresa.

Os sindicatos defendem que o aumento proposto de 24,50 euros deverá valer apenas para 2018, com retroativos a 1 de janeiro.

"Obviamente que as organizações sindicais não podem aceitar este aumento salarial para dois anos, porque na prática isto corresponde a um aumento de 'zero' para 2019", argumentaram os sindicatos em comunicado conjunto.

Os trabalhadores já estão a realizar, desde o dia 09, uma greve ao tempo extraordinário.

A greve parcial da generalidade dos trabalhadores do Metro de Lisboa - e que afeta a operação -- realiza-se entre as 06:00 as 09:30, a que se juntam os trabalhadores administrativos entre as 10:00 e as 12:30.

Na terça-feira, o Conselho Económico e Social (CES), anunciou a decisão de o tribunal arbitral não decretar serviços mínimos para a circulação no metropolitano.

O tribunal arbitral considerou que "existem outros meios de transporte através dos quais os cidadãos em causa poderão exercer o seu direito de deslocação, sem por isso comprimirem o direito de greve daqueles trabalhadores", apontando também a "curta duração" da paralisação.

Por outro lado, o tribunal considerou serem necessários serviços mínimos para os trabalhos de segurança e de manutenção de equipamento e de instalações, tal como solicitado pela empresa.

O pré-aviso de greve foi subscrito pelo STRUP - Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal, STTM - Sindicato dos Trabalhadores da Tracção do Metropolitano de Lisboa, SINDEM - Sindicato Da Manutenção, SITRA - Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes, STMETRO - Sindicato dos Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa e SITESE - Sindicato dos Trabalhadores e Técnicos de Serviços, Comércio, Restauração e Turismo.

Outras Notícias