Penafiel

Greve não afetou doentes internados

Greve não afetou doentes internados

Pessoal da cantina do Hospital Padre Américo exige aumento salarial.

Perto de 50 de funcionários da cantina do Hospital Padre Américo, em Penafiel, marcaram presença numa manifestação que decorreu, na manhã desta quarta-feira, junto à principal entrada desta unidade de saúde. Os trabalhadores em greve, que estão ao serviço da empresa Eurest, denunciavam o facto de não terem aumentos salariais há seis anos e exigiam o pagamento do trabalho nos feriados pelo valor estipulado no acordo coletivo de trabalho. Os funcionários criticaram, ainda, a falta de pessoal na cantina, o que obriga, alegam, a ritmos intensos de trabalho.

A greve desta quarta-feira não afetou os doentes internados, mas diminuiu as opções de almoço para médicos, enfermeiros e outros funcionários do hospital.

A greve foi liderada pelo Sindicato de Hotelaria do Norte, cujo presidente Francisco Figueiredo elencou as razões que levaram 47 dos 52 funcionários da cantina do Hospital Padre Américo a suspender, por um dia, o trabalho. Segundo o dirigente sindical, a Eureste, empresa que explora o serviço de cantina nesta unidade de saúde, "paga salários muito baixos". "Os trabalhadores vivem com muitas dificuldades, pois não têm condições mínimas para fazer face às suas necessidades pessoais e familiares", garante.

Segundo Francisco Figueiredo, "a Eurest também não dá aumentos salariais há seis anos consecutivos" e "não está a pagar devidamente o trabalho prestado em dia feriado". Por outro lado, acrescenta o sindicato, os trabalhadores não são classificados nem remunerados de acordo com as funções que efetivamente exercem e não recebem o subsídio de alimentação nas férias, conforme estabelece o contrato coletivo. "Há falta de pessoal na cantina, os ritmos de trabalho são muito intensos e põem em causa, de forma grave, a saúde e segurança dos trabalhadores. A maioria dos trabalhadores da cantina são contratados através de empresas de trabalho temporário", salienta o dirigente sindical.

Apesar de 90% dos trabalhadores ter aderido à greve, os serviços mínimos foram garantidos e os doentes internados não ficaram sem as refeições.

Até ao momento, ainda não foi possível obter uma reação dos responsáveis da Eurest.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG