Economia

Greve obrigou a cancelar mais de 500 comboios

Greve obrigou a cancelar mais de 500 comboios

A greve dos maquinistas da CP, a cumprir o segundo dia, provocou este sábado até às 18 horas o cancelamento de 512 comboios, tendo funcionado neste período 120.

De acordo com a porta-voz da empresa, Ana Portela, para o dia de hoje, atípico porque se trata da véspera de Natal, estava previsto um total de 632 comboios, representando os cancelamentos cerca de 17%.

Contudo, dos 122 comboios de serviço mínimo previstos para este sábado, até às 18 horas circularam 120, disse Ana Portela.

A CP tinha previsto um total de 153 serviços mínimos até às 24 horas, dia de Consoada, e além dos dois cancelados até às 18 horas, depois desta hora foram já cancelados outros dois, no período entre as 18 horas e as 20 horas.

Na sexta-feira, o primeiro dia de greve dos maquinistas da CP, foram cancelados 1.248 comboios, uma vez que circularam apenas 230 dos 1.478 comboios previstos.

Assim, no total, a greve dos maquinistas já levou ao cancelamento de 1.865 comboios.

A greve, agendada pelo sindicato dos maquinistas, começou à meia-noite de sexta-feira e prolonga-se até domingo, numa primeira fase, tendo como objectivo contestar os processos disciplinares ilegais alegadamente interpostos pela empresa.

A paralisação está também marcada para 1 de Janeiro e ao trabalho extraordinário até ao final deste mês.

O presidente do sindicato dos maquinistas, António Medeiros, disse na sexta-feira à Lusa que a greve estava a contar com a "adesão da totalidade" dos associados da estrutura, ou seja, 1.200 maquinistas da CP.

A CP estima um prejuízo de 2,5 milhões de euros com a greve da época natalícia.

Desde Fevereiro, as greves na CP já causaram um prejuízo acima dos dois milhões de euros, de acordo com a transportadora.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG