Economia

Greve pode afectar amanhã os STCP

Greve pode afectar amanhã os STCP

O serviço da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto deverá ser afectado quinta-feira pela greve decretada por vários sindicatos do sector, que vigorará durante todo o dia.

"A greve propriamente dita começa, contudo, logo às 00:00 horas, devendo começar a sentir-se com maior evidência a partir das 06:30", disse à Lusa Jorge Costa, do Sindicato nacional dos Motoristas (SNM).

No âmbito desta acção, está marcada uma vigília junto à Sede da Empresa, na Torre das Antas, entre as 06:30 e as 21:00, acção decidida no último dia 08, em plenário de trabalhadores.

A greve, que foi convocada pela Comissão de Trabalhadores da STCP, pelo Sindicato Nacional dos Motoristas (SMN), pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITRA) e do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN) tem abrangido apenas, diariamente, as horas extraordinárias e as duas últimas horas de cada turno.

No entanto, a paralisação vigora esta quinta-feira durante todo o dia.

A greve às horas extraordinárias e as duas últimas horas de cada turno, que começou a 22 de Agosto último, irá manter-se até dia 30.

Os três sindicatos do sector contestam a forma como estão a ser organizados os horários de trabalho.

"Os horários de trabalho são extremamente penosos, com médias semanais superiores a 40 horas e compensações só quatro ou cinco meses depois", afirmou Jorge Costa, salientando que "o Acordo de Empresa não está a ser respeitado".

As regras de afectação dos trabalhadores ao serviço e a "ameaça de procedimentos disciplinares diferenciados" a alguns dos funcionários que recusam o serviço extra atribuído são outros pontos de discórdia entre os sindicatos e a Administração da empresa.

Em comunicado a STCP negou, então, as acusações dos sindicatos que convocaram o plenário.

"Não é verdade que algum trabalhador, alguma vez, tenha trabalhado 15 ou 16 horas consecutivas. Também não é verdade que tenha acontecido qualquer intimidação através de processos disciplinares", garantiu a empresa em resposta às decisões do plenário de 08 de Setembro.

A Administração da STCP sublinhou ainda que foram três dos seis sindicatos envolvidos que inviabilizaram a realização de uma reunião marcada para 27 de Agosto último.

Acrescentou ainda que esta decisão foi tomada "sem qualquer consulta prévia aos trabalhadores".

Para a STCP, "esta é uma greve aleatória, essencialmente aos fins de turno".

A Administração da STCP sublinha que continua "disponível para o diálogo desde que este decorra dentro da normalidade e com respeito pelas regras da convivência democrática".