O Jogo ao Vivo

Greve

Greves na CP voltam sábado e seguem pelo mês de Junho

Greves na CP voltam sábado e seguem pelo mês de Junho

Os utentes da CP voltam a partir de sábado a enfrentar dificuldades devido a novas greves dos trabalhadores, tendo a empresa já alertado para a existência de atrasos e supressões de comboios.

Os trabalhadores da CP e da CP Carga começam uma greve ao trabalho extraordinário no sábado. No mesmo dia, juntam-se ao protesto os maquinistas, que estarão em greve às horas extraordinárias até 30 de Junho.

Na segunda-feira, é a vez de os revisores da CP cumprirem uma greve de 24 horas.

As greves foram convocadas pelo sindicatos Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF), dos maquinistas e Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI).

As três estruturas decidiram retomar as greves, depois de, a 21 de Abril, terem suspendido as paralisações e assinado um acordo com a CP.

No âmbito deste acordo, a CP comprometeu-se a enviar ao Governo um estudo para aplicar as cláusulas do Acordo de Empresa no que respeita ao trabalho extraordinário, em dia de descanso e aos feriados, mas os sindicatos continuam à espera de uma resposta.

A CP já alertou para a existência de perturbações na circulação entre 28 de Maio e 30 de Junho.

Numa informação publicada na sua página na Internet, a transportadora afirma que, "por motivo de greves decretadas por diversas organizações sindicais, se prevê que ocorram perturbações na circulação de comboios em todos os serviços, nomeadamente atrasos e supressões".

Nos comboios Alfa Pendular, Intercidades e internacionais, os passageiros podem contar com perturbações na segunda-feira e nos dias 03, 10, 13, 23 e 24 de Junho.

Já os passageiros dos regionais e inter-regionais deverão ter dificuldades no domingo e na segunda-feira, bem como nos dias 03, 04, 10, 13, 23 e 24 de Junho.

Nos urbanos de Lisboa, as perturbações deverão ocorrer na segunda-feira e nos dias 03, 10, 13 e 23 de Junho, enquanto nos urbanos do Porto surgirão dificuldades na segunda-feira e a 03, 10, 23 e 24 de Junho.

Nos meses de Fevereiro e Março, os utentes da CP já enfrentaram perturbações decorrentes de várias greves dos trabalhadores.

Os últimos dados disponibilizados pela transportadora ferroviária à Lusa indicavam que a paralisação às horas extraordinárias tinha levado à supressão de 3.921 comboios de passageiros entre 17 de Fevereiro e 21 de Março.

Num dia normal a CP faz, a nível nacional, 1700 comboios.