Consumo

Há duas décadas que as famílias não levantavam tão pouco dinheiro

Há duas décadas que as famílias não levantavam tão pouco dinheiro

Há, pelo menos, 20 anos que os portugueses não levantavam tão pouco dinheiro. As compras com cartão também caíram para mínimos de 11 anos em abril.

Em média, os portugueses levantaram nos multibancos menos 32,8 milhões de euros e compraram menos 52,8 milhões de euros, comparando com o mesmo período de 2019.

A quebra deve-se ao confinamento da população e ao encerramento de empresas, lojas e serviços. O estado de emergência vigorou de 22 de março a 2 de maio.

Os levantamentos de numerário caíram 51,9% em número, e 40,3% em valor, comparando com abril de 2019. Os portugueses fizeram em abril apenas 17,2 milhões daquele tipo de operação no valor de 1,5 mil milhões de euros, indicou o Banco de Portugal num relatório divulgado ontem. "Ao longo dos últimos 20 anos, não existe registo de um número tão reduzido de levantamentos de numerário", observou.

Em abril de 2020, os portugueses também gastaram menos em compras. O número de operações caiu 42,5% para 60,9 milhões e o valor recuou 39,7% para 2,4 mil milhões de euros. Trata-se dos valores mais baixos desde fevereiro de 2014 e fevereiro de 2015, respetivamente.

Setores mais afetados

Os setores de atividade com maior proporção de compras com cartão tiveram quebras "significativas, que variaram entre -16% no comércio a retalho e -97% no alojamento. "Em termos absolutos, os setores mais afetados foram a restauração e o comércio a retalho, com reduções de, respetivamente, 354,4 milhões de euros e 316,3 milhões de euros face ao transacionado com cartão no período homólogo", lê-se no relatório.

O confinamento forçado da população fez cair em 42,9% o número de operações com cartões e em 28,8%, em termos de valor. "Para encontrar um número mais baixo de operações com cartão, é preciso recuar 11 anos, até fevereiro de 2009, e, em termos de valor, até fevereiro de 2015", dá conta o Banco de Portugal. No total, foram efetuadas 114,7 milhões de operações, no valor de 7,3 mil milhões de euros.

O supervisor bancário explicou esta evolução "negativa" com a "forte redução nos levantamentos, compras e operações de baixo valor", como portagens e parques de estacionamento.

O uso de cheques também caiu para mínimos de 20 anos. Em abril, foram efetuados cerca de 1,2 milhões de pagamentos com cheques, no valor de 4,1 mil milhões de euros, o que corresponde a reduções de 44,9% em número e de 47,9% em valor relativamente a igual período do ano anterior.

Valor médio: 21,3€

As compras com a tecnologia contactless cresceram, comparativamente com abril do ano passado, 44% em número e 123% em valor. O valor médio destas operações passou de 17,8€ em março para 21,3€ em abril de 2020, em resultado do aumento do limite máximo dos pagamentos contactless para 50€.

Compras online em alta

O peso relativo das compras online no total de compras com cartão passou de 7% em número e de 8,1% em valor, em fevereiro de 2020, para 11,2% e 10,8%, em abril.

Eletrodomésticos

As compras com cartão subiram em abril 209% na aquisição de eletrodomésticos (mais 44,7 milhões de euros) e 109% no subsetor das frutas e produtos hortícolas (um aumento de 6,6 milhões) face a abril/2019.

Hipermercados

A maior subida nas compras com cartão registou-se nos supermercados e hipermercados.