Economia

Há sinais consistentes de viragem económica, diz Pires de Lima

Há sinais consistentes de viragem económica, diz Pires de Lima

O presidente do Conselho Nacional do CDS-PP e ministro da Economia, António Pires de Lima, considera que há "sinais cada vez mais consistentes de viragem económica", agradecendo a todos os portugueses por estarem "a levantar Portugal".

Pires de Lima esteve, na segunda-feira à noite, num jantar da candidatura do CDS-PP à câmara de Velas, na ilha de São Jorge, nos Açores, no âmbito das eleições autárquicas de domingo.

O dirigente do CDS-PP disse ter ido aos Açores "dar alguns sinais de confiança", sublinhando que "pela primeira vez depois de muito esforço, de muitas dificuldades", se começam "a sentir alguns sinais, ainda tímidos, sinais que têm ainda de ser consolidados, mas sinais cada vez mais consistentes de viragem económica".

Pires de Lima apontou como prova "o facto de pela primeira vez em dois anos e meio a produção estar a aumentar, o turismo estar a melhorar, a confiança das famílias estar a recuperar" e o desemprego "estar finalmente a inverter uma tendência preocupante", apesar de, sublinhou, estar ainda num "nível muito alto", sendo necessário "continuar a trabalhar para o reduzir".

Para o ministro, é por causa "do esforço de todos os portugueses" que "Portugal está a começar a dar a volta".

"Isto deve-se a um trabalho que não pode ser desperdiçado e é um trabalho de todos os portugueses, nomeadamente daqueles que de uma forma anónima, como aqui no concelho de Velas, apesar das dificuldades, apesar das enormes dificuldades, vão continuando a lutar e a acreditar em Portugal. Muito obrigado pelo trabalho que todos os dias estão a fazer para levantar Portugal depois de anos e anos de governação socialista que deixou o país à beira da bancarrota", afirmou.

Em relação aos Açores, e depois de ter visitado à tarde a união das cooperativas de S. Jorge na qualidade de ministro, Pires de Lima aproveitou esta intervenção como dirigente do CDS-PP para sublinhar como ficou "bastante surpreendido" com o "sistema montado na região" que "retira o leite" aos agricultores, "vende o queijo" mas "tarda em pagar esse mesmo leite quatro e cinco meses".

PUB

"Algo não bate certo nas autoridades regionais dos Açores quando montaram um sistema que penaliza os produtores de leite, que não recebem a tempo e horas aquilo que lhes é devido por contribuírem para uma das maiores riquezas que este arquipélago produz", afirmou, numa referência ao famoso queijo da ilha, dizendo que este caso o faz acreditar que na região é necessário "sangue novo".

Dos 19 concelhos dos Açores, 12 são geridos pelo PS (incluindo Velas) e sete pelo PSD.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG