Imóveis

Habitação no Porto está 55% mais cara

Habitação no Porto está 55% mais cara

Preço que os bancos atribuem às casas já é o mais alto de sempre na Invicta. Desde o pico da crise, em 2013, o metro quadrado valorizou-se 640 euros.

Comprar casa no Porto nunca foi tão caro. Em dezembro do ano passado, o preço do metro quadrado foi de 1849€, o valor mais alto desde que há registos. Segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o valor atribuído às casas subiu 250€ num ano, ou 15,6%.

Recuando até ao pico da crise financeira, os valores são ainda mais expressivos. Em setembro de 2013, o metro quadrado no Porto valia 1208€. O que significa que, desde então, os preços dispararam 53%. Hoje, o metro quadrado custa mais 641 euros do que em 2013. Em cinco anos, uma casa de 100 metros quadrados, por exemplo, valorizou cerca de 64 mil euros.

Os valores são calculados pelo INE com base nos pedidos de crédito para a compra de casa. Os últimos números revelam que o aumento no Porto foi dos mais acentuados do país.

A nível nacional, a avaliação bancária das casas subiu 70€, ou 6,1%, entre dezembro de 2017 e o último mês de 2018. Já a comparação com o pior mês da crise, que a nível nacional foi março de 2013, revela que o aumento do valor do metro quadrado foi de 239 euros, o equivalente a 24%.

O que valorizou

Em Lisboa, o preço atribuído às casas subiu em dezembro para 2193 euros o metro quadrado. Em relação ao mesmo mês de 2017, a subida foi de 52€, ou 2,4%. Na capital o valor mais baixo foi registado em setembro de 2012. Desde então, o montante subiu 28,7%, o que significa que as casas em Lisboa estão 489€ mais valiosas do que no pico da crise.

A avaliação bancária das casas em Portugal tem subido todos os meses desde abril de 2017. No ano passado, o valor atribuído aos apartamentos teve a subida mais acentuada, tendo aumentado 7€ num mês, para os 1284€. Já a avaliação das moradias subiu 4€, para 1119€ por metro quadrado.

A nível regional foi na Madeira que os preços mais subiram em dezembro (1,4%). Só na região Centro é que se verificou uma queda dos valores, de 0,2%.

Algarve, Lisboa, Madeira e Litoral Alentejano continuam a registar valores acima da média nacional. Nos 12 meses do último ano, a avaliação bancária das casas subiu 5,8%. Em 2017, o aumento tinha sido de 5%.

Nenhuma região do país escapou ao aumento, mas foi no Algarve e no Norte que as instituições de crédito mais acentuaram o valor atribuído às habitações, com o preço do metro quadrado a registar um crescimento superior a 7%.