Economia

"Hoje é um bom dia para a economia", diz Pires de Lima

"Hoje é um bom dia para a economia", diz Pires de Lima

O ministro da Economia considerou, esta quinta-feira, que "há elementos crescentes de confiança na estabilização da economia portuguesa", assinalando os dados do INE segundo os quais houve crescimento económico em Portugal pelo segundo trimestre consecutivo.

Na conferência de imprensa sobre as conclusões do Conselho de Ministros, o ministro António Pires de Lima, afirmou que "hoje é um bom dia para a economia portuguesa", porque "Portugal saiu tecnicamente da recessão, com um crescimento - moderado, mas crescimento - no terceiro trimestre de 0,2%, que compara bem com aquilo que foi o crescimento da zona euro, que foi inferior ao registado em Portugal".

Referindo-se à estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o ministro da Economia acrescentou: "Para além do crescimento em cadeia, aquilo que também é importante registar é a evolução de tendência da economia portuguesa iniciada no segundo trimestre, que claramente indicia uma estabilização da economia".

Na mesma conferência de imprensa, também o vice-primeiro-ministro Paulo Portas, declarou que "hoje é um dia especial para a economia portuguesa", considerando que, apesar de não se poder dar "por garantidos ou definitivos estes dados, eles são certamente indicadores de esperança, bons para Portugal e que os portugueses bem merecem".

Por sua vez, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, defendeu que a "espiral recessiva" que alguns anteciparam não se concretizou, acrescentando: "Com alguma dose de prudência, mas também com alguma dose de conforto, podemos dizer que vamos chegar ao final do ano seguramente dentro daquilo que foram as previsões de cumprimento do Orçamento do Estado e do programa de ajustamento que o Governo tinha traçado para o ano de 2013 e provavelmente já numa posição neutra relativamente ao decréscimo do produto".

Marques Guedes declarou que "o Governo tudo tem feito e tem trabalhado afincadamente com o propósito de consolidar a fase que se iniciou no segundo trimestre em Portugal, que foi a fase de inversão da tendência relativamente à recessão económica no país". Embora ressalvando que "os riscos continuam a existir", apontou a existência de "um espaço de esperança face a estes dados em cadeia de dois trimestres consecutivos, em que Portugal não só cresceu, como cresceu acima da média da zona euro".

O ministro da Economia referiu que "neste trimestre, o produto, em termos homólogos, aproximou-se daquilo que foi o nível do terceiro trimestre de 2012: caiu 1%, depois de ter caído 4% no primeiro trimestre e 2% no segundo trimestre".

"Portanto, há aqui elementos crescentes de confiança na estabilização da nossa economia, alimentada por duas variáveis importantes: o saldo da balança de exportações e importações, que continua a ter uma dinâmica muito positiva, mas também uma crescente estabilização da procura interna, nomeadamente ao nível do consumo privado", acrescentou.

Segundo Pires de Lima, "é preciso continuar a trabalhar, a trabalhar muito, ao nível das empresas, ao nível também do Governo, para que esta tendência se possa consolidar ao longo dos próximos trimestres, nomeadamente durante o ano de 2014".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG