Economia

Imprensa estrangeira fala de orçamento "draconiano"

Imprensa estrangeira fala de orçamento "draconiano"

A imprensa estrangeira registou a aprovação da proposta de orçamento do Estado para 2013 pelo conselho de ministros português, notando os aumentos de impostos e os cortes nas prestações sociais previstos.

A rádio pública internacional alemã Deutsche Welle, no seu sítio na Internet, descrevia o orçamento como "draconiano": "Ministros descrevem-no como o orçamento mais austero das últimas décadas."

A Deutsche Welle nota ainda que os credores internacionais "aumentaram o prazo" para a consolidação orçamental, e que os protestos populares contra a austeridade "deverão continuar".

A agência noticiosa chinesa Xinhua nota que Portugal "enfrenta uma profunda recessão económica e um desemprego recorde", e que o orçamento incluiria "aumentos nos impostos sobre imóveis".

O sítio iExpats.com, que dá conselhos financeiros a pessoas que vivam fora do seu país, nota que o orçamento resultará num agravamento fiscal para os estrangeiros que vivem e trabalham em Portugal: "Para além do aumento [no IRS], os estrangeiros que trabalhem em Portugal também vão ter de pagar uma sobretaxa de 4% sobre os seus rendimentos no próximo ano."

A agência norte-americana Associated Press cita a expressão do ministro das Finanças, Vítor Gaspar, sobre o "enorme aumento de impostos", e nota que a reação às medidas já conhecidas do orçamento foi "uma forte contestação pública".

Em Espanha, a agenda noticiosa Efe cita já a versão preliminar do orçamento reproduzida na imprensa portuguesa, e destaca o "corte de 6% no subsídio de desemprego", bem como o aumento dos impostos "mesmo para os rendimentos mais baixos".

O jornal financeiro Expansión assinalou a "reunião maratona que se prolongou por mais de dez horas" para aprovar o OE2013, e recorda que, para além de um orçamento para o próximo ano, o Governo também aprovou um orçamento retificativo (o segundo) para 2012.

Outras Notícias