Crise

INE estima crescimento da economia de 13,3% no terceiro trimestre

INE estima crescimento da economia de 13,3% no terceiro trimestre

O INE reviu esta sexta-feira em alta a estimativa de evolução do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre, melhorando a anterior previsão em uma décima, para uma contração homóloga de 5,7% e uma recuperação de 13,3% em cadeia.

"No terceiro trimestre de 2020, o PIB em termos reais registou uma redução homóloga de 5,7%, após a forte contração de 16,4% no trimestre anterior", pode ler-se na segunda estimativa rápida divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que atualiza a feita no dia 30 de outubro.

Já face ao segundo trimestre, "o PIB aumentou 13,3% em termos reais, depois da forte contração observada no trimestre anterior (variação em cadeia de -13,9%)".

Segundo o INE, estes resultados reveem em alta (0,1 pontos percentuais) as taxas de variação homóloga e em cadeia apresentadas na primeira estimativa rápida, devido à integração de informação primária adicional, nomeadamente relativa ao comércio internacional de serviços, e, em menor grau, aos indicadores de curto prazo relativos a setembro.

De acordo com o instituto estatístico, a redução homóloga "deveu-se sobretudo ao comportamento da procura interna, que registou um contributo de -4,1 pontos percentuais para a variação homóloga do PIB, significativamente menos negativo que o verificado no trimestre anterior (-11,8 pontos percentuais)".

PUB

No mesmo sentido, "o contributo negativo (-1,5 pontos percentuais) da procura externa líquida foi menos acentuado no terceiro trimestre que o registado no trimestre precedente (-4,6 pontos percentuais), verificando-se uma recuperação mais significativa das exportações de bens e serviços que a observada nas importações de bens e serviços, devido em grande medida à evolução das exportações de bens, uma vez que as de serviços mantiveram reduções expressivas".

"O contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB recuperou de forma expressiva, passando de -11,8 pontos percentuais para -4,1 pontos percentuais no terceiro trimestre, devido sobretudo ao comportamento do consumo privado, que registou uma diminuição homóloga significativamente menos intensa que a observada no trimestre anterior", explica o INE.

Por outro lado, "o investimento também apresentou uma diminuição homóloga menos intensa que no trimestre precedente, enquanto o consumo público registou um crescimento, após a diminuição verificada no segundo trimestre".

Já relativamente ao segundo trimestre, a subida de 13,3% do PIB, depois da "forte contração" de 13,9% em cadeia observada no trimestre anterior, é explicada, "em larga medida, pelo comportamento da procura interna, que apresentou um expressivo contributo positivo (10,6 pontos percentuais) para a variação em cadeia do PIB, após o contributo fortemente negativo no segundo trimestre (-10,9 pontos percentuais)".

Em cadeia, "o contributo da procura externa líquida também foi positivo (2,7 pontos percentuais), depois de ter sido muito negativo (-3,0 pontos percentuais) no trimestre precedente, verificando-se um crescimento acentuado das exportações de bens e serviços", lê-se no documento.

De julho a setembro, as exportações totais em volume aumentaram 38,8% em cadeia (-37,0% no trimestre anterior) e as importações totais registaram uma variação de 26,1% (-29,2% no trimestre precedente).

Esta foi a última divulgação da estimativa do PIB a 45 dias publicada pelo INE, já que "a antecipação da primeira estimativa do PIB de cada trimestre dos 45 para os 30 dias, que já estava a ser preparada nos últimos anos, ocorreu no contexto da situação excecional provocada pela pandemia".

Deste modo, a difusão de informação relativa ao PIB trimestral passará a ocorrer em três momentos, tal como recomendado no contexto do Sistema Estatístico Europeu: 30 dias (estimativa rápida), 60 dias (dados detalhados) e 85 dias (dados detalhados com desagregação por setor institucional) após o trimestre de referência.

Os resultados detalhados das contas nacionais trimestrais do terceiro trimestre serão divulgados em 30 de novembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG