Madeira

INE revê em alta impacto do "buraco" financeiro da Madeira

INE revê em alta impacto do "buraco" financeiro da Madeira

As dívidas que a Madeira omitiu levaram o Instituto Nacional de Estatística a rever o défice de 2010 de 9,1% para 9,8% do produto interno bruto, no procedimento de défices excessivos.

Face às estimativas que o INE e o Banco de Portugal adiantaram a 16 de Setembro, os dados divulgados, esta sexta-feira, revêem em alta o impacto da dívida da Madeira imputável aos anos de 2008, 2009 e 2010, no valor total de 104,8 milhões de euros.

Para 2008, o défice português situou-se assim nos 3,6% do PIB, contra estimativas anteriores de 3,1%, que o INE divulgou em Abril, enquanto o défice de 2009 passou de 10% do PIB para os 10,1%.

Face aos cálculos do INE de Abril, o défice de 2010 foi o que sofreu assim, a maior revisão, de 9,1% para os 9,8%.

O ano passado foi também aquele em que o INE fez a maior revisão em alta do "buraco" da Madeira, no valor de 59,7 milhões de euros, dos 915,3 milhões previstos a 16 de Setembro, para o actual valor de 975 milhões.

Para 2008, de acordo com o INE, o valor que Madeira omitiu foi de 174,7 milhões de euros, face às estimativas anteriores de 139,7 milhões de euros enquanto que, em 2009, o valor passou de 58,3 milhões para 68,4 milhões.

Face aos cálculos de Abril, o INE reviu também em alta a dívida pública portuguesa em 2010, passando de 93% do PIB, para 93,3%.

PUB

Para 2008 e 2009 mantém-se o peso da dívida face ao PIB, que foi de 71,6% em 2008 e de 83% em 2009.

Para 2011, o INE prevê que a dívida ultrapasse toda a riqueza produzida em Portugal no ano, atingindo os 100,8% do PIB, com o défice previsto a situar-se nos 5,9%, o valor também previsto pelo Governo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG