Exclusivo

Inflação na construção adia dezenas de obras públicas

Inflação na construção adia dezenas de obras públicas

Preço dos materiais e custo da mão de obra sobem a uma escala sem precedentes. Aço, cobre, alumínio, madeira e betuminosos foram os que encareceram mais. Faltam 70 mil trabalhadores.

O setor da construção está a enfrentar uma escalada de preços sem precedentes e isso está a fazer com que dezenas de obras públicas, de norte a sul do país, sejam adiadas. Não faltam concursos públicos vazios e obras que ficam suspensas à espera que se resolvam os dois principais problemas do setor: as subidas do preço dos materiais e do custo da mão de obra.

O JN encontrou dezenas de obras adiadas e concursos públicos vazios em todos os distritos do país, no último ano, por causa do preço da construção. Concelhos como Coimbra, Viana do Castelo, Guimarães, Bragança, Vila Nova de Gaia, Porto ou Lisboa são os mais afetados em termos de valor de obras. Fernando Ruas, presidente da Câmara de Viseu, afirmou que "nenhuma obra está dentro do prazo" no concelho viseense.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG