Economia

90% dos comboios parados ao início da manhã devido a greve

90% dos comboios parados ao início da manhã devido a greve

A circulação de comboios está a ser muito afectada esta segunda-feira de manhã devido à greve de 24 horas dos revisores e operadores de bilheteira com 90% de supressões registadas, adiantou a porta-voz da CP.

"A situação está muito complicada. Até às 6 horas tínhamos 90% de supressões e tal como tínhamos previsto esta situação vai manter-se durante o dia", adiantou à Lusa a porta-voz da CP-Comboios de Portugal, Ana Portela.

De acordo com Ana Portela, prevê-se, esta segunda-feira, a supressão de quase todos os comboios, sendo que até às 6 horas não houve nenhum a circular no Porto e em Lisboa realizaram-se quatro.

"Realizaram-se apenas dois comboios na Linha do Sul e outros tantos na Linha de Cascais. No que diz respeito aos regionais realizou-se apenas um", contou.

Ana Portela adiantou ainda que não há nenhum comboio Alfa a circular por opção da empresa que prefere fazer Intercidades porque "levam mais pessoas, param em mais sítios, servindo assim mais população".

"Esperamos fazer alguns Intercidades mas ainda é cedo para adiantar alguma coisa", disse a porta-voz da CP, realçando que a supressão vai estar ao longo do dia muito perto dos 100%.

A greve de 24 horas dos revisores e operadores de bilheteira foi convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI).

O presidente do sindicato, Luís Bravo, adiantou que até às 06:30 a adesão á greve era de 95 por cento.

Às 6.30 horas, a adesão à greve era de 95%. Desde as 22 horas que não circula nenhum comboio nas zonas urbanas de Lisboa e Porto", disse à Lusa o presidente do SFRCI.

Segundo o responsável, está apenas previsto para hoje de manhã um comboio Intercidades com destino ao Porto.

O SFRCI protesta contra o fato de ainda não ter sido posto em prática o acordo assinado, a 21 de abril, entre a Comissão Executiva da CP e os sindicatos que representam os trabalhadores da empresa.

Além disso, os grevistas discordam da redução, a partir de 01 de junho, da oferta de comboios das áreas urbanas, com especial incidência nas linhas urbanas de Cascais e de Sintra.

ver mais vídeos