Estudo

Oito em cada 10 portugueses devem gozar férias fora de casa

Como motivação principal para a viagem, os inquiridos respondem o sol e mar (54%)

Foto André Vidigal / Global Imagens

Oito em cada 10 portugueses deverão gozar férias fora de casa no verão, com as praias nacionais a dominarem os planos, assim como preocupação em poupar, segundo um estudo do IPDT - Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo.

Com base em 532 questionários, a associação sem fins lucrativos divulgou que 80% dos "portugueses vão fazer férias fora de casa no período de junho a setembro deste ano, um valor próximo do apurado em igual período de 2017 (82%)".

Nas conclusões do estudo lê-se também que nas decisões sobre férias de verão é tida em conta a "poupança, sendo esta uma preocupação vincada pelos portugueses, com a maioria a reconhecer que faz sempre uma estimativa orçamental para as suas viagens e que as suas opções dependem do preço dos destinos e de quanto conseguem poupar".

"Ainda a este nível, procuram economizar nos voos e, em menor grau, nos locais que escolhem para usufruir das suas férias. Os dados revelam, por isso, um cenário pouco favorável a um aumento dos gastos, apesar de se esperar uma ligeira subida dos mesmos", concluiu-se.

Como motivação principal para a viagem, os inquiridos respondem o sol e mar (54%), seguindo-se a cultura (14%) e as visitas a cidades (12%). Portugal é tido em conta como destino de férias em 45% das respostas.

Quanto ao alojamento, os hotéis de 4 estrelas são a opção respondida por 27%, ultrapassando o alojamento particular ou gratuito, sobretudo a casa alugada ou de familiares e amigos (22%).

O mês de agosto continua a liderar as preferências (44%) e assim como o período até sete noites (64%).

Segundo o inquérito, cada turista deverá gastar, em média, 430 euros nas férias de verão, a que corresponde um gasto unitário por noite de 57 euros, valores idênticos respondidos no ano passado.

O presidente do IPDT, António Jorge Costa, comentou, com base nas respostas obtidas, que "a expectativa para o gozo de férias é muito positiva com o Algarve a ser o destino de eleição, numa escolha que coloca Portugal no topo das preferências para 45% dos inquiridos".

Dos que optam por viajar para o exterior, 30% referem a preferência pela Europa, com destaque para Espanha (18%).

"De salientar que, face a 2017 (25%), cresce o número de pessoas que vão fazer férias no estrangeiro", nota-se.

Relacionadas