Aviação

Aposta da TAP nos EUA "contrabalança qualquer resfriado noutros mercados"

Aposta da TAP nos EUA "contrabalança qualquer resfriado noutros mercados"

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, garante que a companhia aérea está atenta à conjuntura internacional, acrescentando que a empresa aposta nos Estados Unidos "para contrabalançar qualquer resfriado noutros mercados".

Antonoaldo Neves falava na conferência "Sucesso Made in Portugal", organizada pelo "Dinheiro Vivo", por ocasião do seu sétimo aniversário, que está a decorrer em Lisboa.

Questionado sobre receios relativos à instabilidade política e económica internacional, Antonoaldo Neves disse que a TAP está atenta, uma vez que "79% dos bilhetes vendidos são fora de Portugal".

Por isso, "temos de estar atentos", sublinhou.

Um quarto das receitas da TAP "veem do Brasil, as eleições já passaram e isso eliminou a incerteza", pelo que existe uma "perspetiva positiva para o Brasil para o ano que vem", afirmou.

"O nosso segundo maior mercado é Portugal, aproximadamente 20% e continuamos com uma perspetiva positiva", muito tendo em conta que o país é um destino turístico e tal "não desaparece do dia para a noite", prosseguiu.

"A nossa grande aposta é o Estados Unidos, independentemente dos desafios globais, a demanda [procura] para os Estados Unidos vai continuar", disse Antonoaldo Neves.

Ou seja, o objetivo "é aumentar num mercado enorme, Estados Unidos, para contrabalançar qualquer resfriado noutros mercados".

Outra das questões é o preço do petróleo, que representa cerca de 27% dos custos da TAP.

"Não está sob nosso controlo e o preço mudou muito nos últimos dois meses", disse, aludindo à baixa do mesmo.

Questionado sobre o 'Brexit', a saída do Reino Unido da União Europeia, considerou que no caso da TAP"não é tão impactante".

Isto porque o Reino Unido representa cerca de 5% e a TAP consegue "absorver qualquer tipo de impacto", concluiu.

ver mais vídeos