Economia

Aprovada extensão das linhas de Metro de Gaia, Gondomar e Trofa

Aprovada extensão das linhas de Metro de Gaia, Gondomar e Trofa

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira por unanimidade uma proposta do PCP que recomenda ao Governo o prolongamento das linhas do Metro do Porto em Gaia, Gondomar e Trofa.

"Foi aprovado por unanimidade", afirmou à Lusa, no final da votação do Projeto de Resolução n.º 167, o deputado do PCP Jorge Machado, segundo o qual serão ainda apresentadas declarações de voto pelo PS e CDS.

A recomendação defende o início da construção da ligação do ISMAI à Trofa, no prolongamento da Linha C, até ao final de 2017 e "que sejam tomadas as medidas necessárias para a planificação que conduza ao prolongamento da Linha D (Amarela) até Vila D'Este (Vila Nova de Gaia" e da Linha F (Laranja) até Gondomar.

No documento o PCP refere que "o alargamento da linha do Metro do Porto é uma justa aspiração de muitas populações do distrito do Porto há já vários anos" e lembra que "há 14 anos a população da Trofa ficou sem o comboio e com a promessa (nunca cumprida) de, no seu lugar, ser garantida a mobilidade com o alargamento da linha do Metro do Porto".

De igual forma, "há mais de 10 anos que os concelhos de Gondomar e Vila Nova de Gaia esperam que o metro chegue a Gondomar e Vila D'Este".

"Assim, o prolongamento da linha do metro até Vila D'Este e Gondomar assume-se como uma prioridade política, em conjunto com o prolongamento da linha do metro até à Trofa, considerando o que significaria para estas populações e para a economia regional", defendem os comunistas.

Para o PCP "a atual rede de metro está incompleta e não serve as necessidades das populações enquanto não forem concretizados os devidos prolongamentos"

"Considerando o direito à mobilidade destas populações, entendendo que os prolongamentos das linhas até à Trofa, Gondomar e Vila D'Este são da mais elementar justiça para responder às necessidades da região, o PCP apresenta este Projeto de Resolução", justificam.

O Plano Nacional de Reformas prevê uma expansão total de nove quilómetros nas redes nas áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa, num investimento total de 400 milhões de euros.

Suspensa pelo Governo em 2011, a segunda fase de expansão da Metro do Porto integra cinco linhas com quase 38 quilómetros de extensão e com um custo global de cerca de mil milhões de euros.

A decisão sobre quais as linhas que vão avançar está nas mãos da Metro do Porto, que tem o Estado como acionista maioritário e as autarquias como acionistas minoritários.

Em maio, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, revelou ter sido informado pelo Governo de que estão reservados 240 milhões de euros para expandir o metro na Área Metropolitana.

O autarca notou que a administração da Metro ia "fazer uma análise custo-benefício" das várias linhas previstas na Área Metropolitana do Porto, dizendo acreditar que, em face desse critério, o concelho do Porto não ficaria "de fora".

Moreira destacou ainda que a verba destinada ao metro do Porto terá de dar resposta às ambições de outros municípios, como Gaia, Gondomar ou Matosinhos.

Os cinco percursos programados são a linha do Campo Alegre (Porto), a ligação ao Hospital de São João via São Mamede de Infesta (Matosinhos), Valbom (Gondomar), Trofa e Vila d'Este (Gaia).

ver mais vídeos