Banco de Portugal

As notas mais produzidas e mais procuradas em Portugal

As notas mais produzidas e mais procuradas em Portugal

O Banco de Portugal produziu 211 milhões de notas em 2018, menos oito milhões que no ano anterior, divulgou esta segunda-feira o supervisor no Relatório de Emissão Monetária de 2018.

"Em 2018, a Valora S.A. [empresa detida pelo Banco de Portugal] imprimiu 211 milhões de notas de euro (219 milhões em 2017)", informou o Banco de Portugal.

Deste total, o supervisor fabricou 139 milhões de notas de 20 euros e 72 milhões de notas de cinco euros.

O Banco de Portugal explica no relatório que, desde a introdução do euro, a produção de notas tem sido adjudicada à Valora S.A., empresa cujo capital o Banco de Portugal detém na totalidade.

O Banco de Portugal é responsável pela produção de notas de euro, na qualidade de banco central nacional do Eurosistema, colocando também as notas e as moedas em circulação.

O relatório mostra também que "em Portugal, continua a haver mais notas a regressar ao banco central do que levantamentos" e que "as notas mais procuradas são as de 20 e as de 10 euros".

"No final de 2018, o valor das notas depositadas no Banco de Portugal desde a introdução do euro excedia em 17 mil milhões de euros o valor das notas levantadas (14 mil milhões de euros no final de 2017)", refere o supervisor.

O Banco de Portugal recorda que o montante acumulado de depósitos é superior ao valor acumulado dos levantamentos desde 2010, um resultado que "decorre do facto de, nos últimos anos, ter entrado em Portugal, por via do turismo, uma elevada quantidade de notas, sobretudo de maior valor, que não tem sido totalmente absorvida pela procura".

E o supervisor indica ainda que este facto "estará ainda relacionado com o crescente recurso aos pagamentos com cartão".

O relatório mostra também que, ao longo do ano, foram levantados do Banco de Portugal 11.261 milhões de euros em notas (660 milhões de notas), mais 3,2% do que em 2017, e depositados 14.056 milhões de euros em notas (690 milhões de notas), sobretudo por empresas de transporte e tratamento de valores, em nome das instituições de crédito.

O documento refere ainda que as notas de 20 e de 10 euros foram as mais procuradas em Portugal, ao representarem, respetivamente, 47,5% e 40,1% da quantidade de notas levantadas no Banco de Portugal em 2018, tendo sido a nota de 200 euros a menos requisitada.