Premium

Associações anunciam nova crise do têxtil

Associações anunciam nova crise do têxtil

Deslocalização de encomendas é a principal ameaça e há seis concelhos muito dependentes do setor.

No dia em que o Instituto Nacional de Estatística divulgou os números das importações e exportações, que se traduziram na redução drástica da taxa de cobertura da balança comercial do setor têxtil, as principais associações reuniram com a Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, avisando o que há meses se ouvia em surdina: o têxtil está novamente em crise e 2019 vai ser um ano de estagnação, senão de recuo, com despedimentos à vista.

Em Guimarães, no auditório da Fraterna, os avisos de uma crise presente ou a chegar partiram dos responsáveis pelas principais associações. João Costa, da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), classificou de "demasiado grande" o aumento das importações em janeiro e destacou que "o momento presente é de algum arrefecimento", prevendo um 2019 estagnado ou a decrescer.