PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

CGD

Caixa é o banco que mais crédito dá para apostar na Bolsa

Caixa é o banco que mais crédito dá para apostar na Bolsa

A Banca perdeu centenas de milhões com os empréstimos para a compra de ações concedidos a grandes empresários, como Joe Berardo e Manuel Fino. Um dos bancos que mais sofreram com esses financiamentos foi a Caixa Geral de Depósitos (CGD). Apesar de estar a reduzir nesse tipo de crédito, o banco público ainda é dos que mais empréstimos tem concedidos para investir em Bolsa.

A CGD tinha ainda 488 milhões nestes créditos no final de março último, segundo os dados mais recentes da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). "O montante utilizado dos créditos concedidos para a realização de operações sobre valores mobiliários totalizou 1911 milhões de euros entre janeiro e março, menos 1,3% do que nos três meses anteriores. Deste montante, 43,6% foram concedidos pelo Deutsche Bank (Portugal) e 25,6% pela CGD", indica o supervisor.

Ainda assim, tal como todo o sistema bancário, a Caixa tem cortado no valor acumulado destes financiamentos. No final de 2010, por exemplo, o banco público tinha um total de 1,6 mil milhões de euros em empréstimos para investir em Bolsa.

Além da CGD, outro dos bancos historicamente mais ativos nestas operações era o BCP. Atualmente, a instituição tem 425 milhões concedidos em empréstimos para a compra de valores mobiliários. Uma redução face aos quase 1,5 mil milhões que apresentava no final de 2010, antes da chegada da troika, que apertar a vigilância do setor financeiro.

A crise financeira de 2008 e, em alguns casos, as poucas garantias exigidas nesses créditos resultaram em perdas de centenas de milhões para a CGD e outros bancos. Foi o que aconteceu nos financiamentos a Berardo e a Manuel Fino para a compra de ações do BCP. O banco público perdeu 585 milhões com esses dois devedores.