PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Motoristas

Câmara de Setúbal declara situação de crise energética no concelho

Câmara de Setúbal declara situação de crise energética no concelho

A Câmara de Setúbal anunciou que acionou o plano de contingência para situações de crise energética no território municipal, na sequência da declaração de crise energética feita pelo Governo a propósito da greve dos motoristas.

"Foi declarada a situação de alerta pela Autoridade Municipal de Proteção Civil (Presidente da Câmara) devido à declaração da situação de crise energética", informaram os serviços de Proteção Civil da autarquia através da rede social Twitter.

Foi também marcada para as 9 horas de segunda-feira uma reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil.

"Face à situação derivada de reconhecida irregularidade no normal abastecimento energético, materializa-se um risco coletivo de 'riscos sociais' para a segurança dos cidadãos e para a garantia da prestação dos serviços críticos e indispensáveis para a prevenção, preparação, resposta e recuperação de situações de acidente grave ou catástrofes, quando aquelas situações ocorram ou na sua iminência", justifica o município.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), a que se associou o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN).

Os motoristas reivindicam que a associação patronal Antram cumpra o acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

O Governo decretou serviços mínimos entre 50% e 100%, racionou os abastecimentos de combustíveis e declarou crise energética até às 23.59 horas de 21 de agosto, que implica "medidas excecionais" para minimizar os efeitos da paralisação e garantir o abastecimento de serviços essenciais como forças de segurança e emergência médica.

Para este sábado, o primeiro-ministro António Costa convocou uma reunião de emergência, às 10 horas, "para fazer um ponto de situação de medidas setoriais que estão a ser desenvolvidas".

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, declarou "situação de alerta" no continente entre as 23.59 de sexta-feira e as 23.59 horas de 21 de agosto, e convocou uma reunião de emergência da Comissão Nacional de Proteção Civil também neste sábado, às 17 horas.

Estas medidas extraordinárias são justificadas pela anunciada "greve dos combustíveis" e pela possibilidade de "serem afetados bens e serviços absolutamente essenciais à população".