Novidade

Camry é o novo topo de gama da Toyota e chega este mês a Portugal 

Camry é o novo topo de gama da Toyota e chega este mês a Portugal 

A Toyota reintroduziu, na Europa, o seu modelo topo de gama Camry, que deixou de ser vendido no Velho Continente em 2004. Disponível apenas na versão híbrida, a nova aposta da marca japonesa chega a Portugal este mês.

Com dimensões que o colocam entre os segmentos D e E (4,88 metros de comprimento, 1,84 de largura e uma distância entre eixos de 2,82 metros) o Camry Hybrid pretende ter, na Europa, o sucesso obtido noutros continentes (é vendido em mais de 100 países). Desde o seu lançamento, em 1982, já foram vendidos mais de 19 milhões de unidades e todos os anos mais de 700 mil encontram comprador.

Durante a apresentação à imprensa, no Alentejo, após um contacto dinâmico que, no caso do JN, ultrapassou os 400 quilómetros, Victor Marques, das Relações Públicas da Toyota Caetano Portugal, destacou as dimensões "generosas" deste sedan, que lhe permitem oferecer um espaço interior de muito bom nível e uma mala que, graças à colocação das baterias de hidretos metálicos de níquel por baixo dos assentos traseiros, oferece uma capacidade de 524 litros (500 com os bancos traseiros reclináveis eletricamente).


O habitáculo está focado no condutor, com materiais de qualidade e construção sólida, mas nenhum passageiro se pode queixar. No nível de topo, o Luxury, em que o ar condicionado é trizona, o encosto de braços traseiro, uma vez rebatido, tem um ecrã táctil que permite regular a temperatura, ligar o aquecimento dos bancos ou a sua inclinação e controlar o sistema áudio.


Aposta na motorização híbrida
A oitava geração do Camry vem ocupar o espaço ocupado pelo Toyota Avensis e é uma alternativa às tradicionais berlinas do segmento, movidas por motores Diesel, com os 218 cavalos assegurados por uma motorização híbrida, que recorre a um motor de 2.5 litros de cilindrada a gasolina e uma bateria de hidretos metálicos de níquel.

O consumo homologado pela marca, de 5,5 ou 5,6l/100 km, não é de todo irrealista. No final da apresentação, e com perto de 900 quilómetros percorridos, alternando entre as versões Limousine (a mais equipada) e a Luxury, rolamos sistematicamente com 6,3, 6,4 l/100km no computador de bordo, um registo assinalável, porquanto boa parte do trajeto foi feita em auto-estrada e estradas nacionais, terrenos tradicionalmente mais adversos aos híbridos.
Um facto a que não será alheia a eficiência térmica recorde de 41% anunciada pela Toyota e a apurada aerodinâmica do Camry.

O equipamento segue o up-grade do modelo e mesmo a versão de entrada, a Exclusive, está bem recheada, tanto em elementos de conforto como de segurança. Neste último capitulo destaque-se os sensores de estacionamento, o sistema de pré-colisão, o aviso de saída da faixa de rodagem, o cruise controlo adaptativo ou o reconhecimento dos sinais de trânsito. Na versão seguinte, a Luxury, somam-se os sensores de estacionamento inteligentes (com deteção de veículos, peões e ciclistas) e o alerta de ângulo morto.

Todos os elementos de conforto e segurança são acrescidos, na Limousine, de volante com ajuste eléctrico (a coluna retrai-se para facilitar a entrada/saída), o ar condicionado é trizona, os bancos traseiros têm ajuste elétrico, existe head-up display, sistema de som JBL, cortina solar eléctrica e consola de instrumentos traseira. A garantia é de sete anos para a mecânica e de até 10 anos para a bateria do sistema híbrido.

Os preços das três versões começam, respetivamente, em 43.990, 46.990 e 49.690 euros.