PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

OE2018

Carga fiscal diminui no próximo ano depois de ter aumentado em 2017

Carga fiscal diminui no próximo ano depois de ter aumentado em 2017

A carga fiscal vai diminuir em 2018, em 0,2 pontos percentuais, passando a representar 36,7% do PIB, depois de ter aumentado este ano para 36,9% do PIB, estima o Governo no orçamento para 2018.

No ano passado, a carga fiscal marcou o debate político da discussão da proposta de Orçamento do Estado de 2017 (OE2017), com o Governo a garantir que haveria uma diminuição face a 2016, enquanto a oposição não acreditava nas estimativas das Finanças.

Ora, no relatório que acompanha a proposta de OE2018, entregue ao parlamento na sexta-feira, o Governo estima agora que a carga fiscal tenha aumentado ligeiramente de 36,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 para 36,9% do PIB em 2017, mas que venha a descer para 36,7% do PIB no próximo ano.

Em 2017, o aumento na carga fiscal foi justificado pelos impostos sobre a produção e a importação, cujo peso na economia sobe 0,2 pontos percentuais face a 2016, enquanto o peso dos impostos sobre o rendimento diminuiu 0,1 ponto percentual entre esses anos.

A fórmula mantém-se em 2018: há uma redução do peso dos impostos sobre o rendimento e o património em 0,4 pontos percentuais (de 10,2% em 2017 para 9,8% no próximo ano), mas um aumento dos impostos sobre produção e importação em 0,1 pontos percentuais perante este ano.

As contribuições sociais, por sua vez, mantêm-se nos 11,7% do PIB em 2016, 2017 e 2018.

O conceito de carga fiscal não é fechado e há vários indicadores e formas de o medir, que diferem entre si essencialmente quanto às contribuições sociais. Mas o Conselho de Finanças Públicas (CFP), o Instituto Nacional de Estatística (INE) e a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) explicam que a carga fiscal se mede pelo valor total dos impostos e contribuições efetivas para a Segurança Social face ao PIB.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2018 entregue na sexta-feira à noite pelo Governo no parlamento, o executivo prevê um défice orçamental de 1% do PIB e um crescimento económico de 2,2% no próximo ano.

O Governo melhorou também as estimativas para este ano, prevendo um crescimento económico de 2,6% e um défice orçamental de 1,4%. Quanto à taxa de desemprego, deve descer de 9,2% este ano para 8,6% no próximo.