PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Economia

Carvalho da Silva diz que paralisação já está a ser um êxito

Carvalho da Silva diz que paralisação já está a ser um êxito

O secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, considerou esta quarta-feira que a greve geral de amanhã "já está a ser um êxito", tendo em conta a discussão e os apoios que suscitou.

Carvalho da Silva, que ao fim da tarde desta quarta-feira se deslocou ao aeroporto de Lisboa para tomar conhecimento dos primeiros efeitos da greve geral, disse aos jornalistas que a discussão que tem sido feita ao longo das últimas semanas sobre os temas que estão na origem deste protesto e os apoios manifestados pelos mais variados quadrantes da sociedade portuguesa mostram que a paralisação já está a cumprir os seus objectivos.

O sindicalista referiu, a título de exemplo, o que definiu como "o manifesto de apoio à greve" subscrito pelo antigo presidente Mário Soares e críticas feitas por ex-dirigentes do PSD ao Orçamento do Estado, que acusam de não apostar no crescimento e no emprego.

"Tudo isto são ganhos muito importantes para o futuro do país", destacou o líder da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional (CGTP-IN).

Tendo em conta os indicadores dos primeiros locais onde a greve geral já começou a fazer-se sentir, nomeadamente nos transportes, Carvalho da Silva estimou que "vai haver uma adesão muito grande à greve em todos os sectores de atividade".

O dirigente sindical admitiu que as dificuldades económicas podem condicionar a adesão à greve, mas considerou que, ao mesmo tempo, são os trabalhadores a quem estão a ser impostos os maiores sacrifícios que fazem greve.

"Quando estão em causa a dignidade, a democracia e a justiça é preciso lutar", defendeu, acrescentando que "a greve é um sacrifício a bem do país e não contra o país".

Carvalho da Silva falou aos jornalistas junto aos painéis de informação das chegadas de voos, em que predominavam os cancelamentos assinalados a vermelho.

"Isto é um bom cartão vermelho ao Governo e às suas práticas contra os trabalhadores do setor privado e público e que levam ao empobrecimento do País", referiu o sindicalista.

No painel informativo sobre chegadas podia ler-se que o último voo antes da greve estava previsto para as 21.38 horas, proveniente da Madeira, e que a partir das 21.50 horas todos os voos estão cancelados.

O líder da CGTP deslocou-se ao aeroporto da Portela acompanhado por outros sindicalistas da Intersindical e vários elementos de piquetes de greve.

Amável Alves, coordenador da Federação sindical dos Transportes e Comunicações disse à Agência Lusa que a greve geral de quinta-feira no sector dos transportes "começa em grande".

O sindicalista referiu o caso dos navios de carga e passageiros que "estão a ser todos desviados para Espanha", destacando que está prevista a paralisação total dos pilotos das barras e dos trabalhadores dos portos de todo o país.