Combustíveis

CDS acusa Governo de chegar tarde e ser incapaz de ajudar a acordo

CDS acusa Governo de chegar tarde e ser incapaz de ajudar a acordo

O CDS-PP acusou o Governo de ser incapaz de criar ponte de diálogo entre os sindicatos e a ANTRAM, a propósito da greve dos motoristas de materiais perigosos anunciada para 23 de maio.

"O Governo, durante todo este período, não teve a capacidade de sentar as partes e tentar que as partes chegassem a um acordo", afirmou aos jornalistas o deputado Pedro Mota Soares, à margem de uma conferência de imprensa, em Lisboa, com que o CDS assinalou o dia da Europa.

Semanas depois da greve, em vésperas da Páscoa, em abril, ter causado uma crise e uma corrida aos combustíveis, Mota Soares afirmou que "mais uma vez o Governo esteve mal" e acrescentou que "está a ser incapaz" de conseguir um compromisso.

"Da última vez esteve tarde, pelos vistos continua a chegar tarde a esta discussão porque não tem sido possível estabelecer uma linha de diálogo entre as duas partes e é isso que pode resolver o fundo da questão" acrescentou.

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) entregou hoje o pré-aviso de greve que começa a 23 de maio por tempo indeterminado, afirmou hoje o seu presidente.

Até terça-feira, corriam bem as negociações entre o sindicato dos motoristas e a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), tendo nesse dia o sindicato anunciado que as partes tinham chegado a um pré-acordo e estava afastada até ao final do mês a possibilidade de greve.

Na quarta-feira, ao final do dia, o SNMMP anunciou a intenção de marcar uma nova greve com efeitos a partir do dia 23 de maio.