IES

Contabilistas pedem adiamento da entrega da Informação Empresarial Simplificada

Contabilistas pedem adiamento da entrega da Informação Empresarial Simplificada

A Associação Nacional de Contabilistas (ANACO) pediu ao Ministério das Finanças o adiamento por uma semana do prazo de entrega da declaração da Informação Empresarial Simplificada (IES) referente a 2017, que termina em 15 de julho.

"Solicitamos na segunda-feira, dia 9 [de julho], essa prorrogação do prazo", disse à Lusa o presidente da ANACO, Vítor Vicente, justificando tal pedido com o "facto inédito" de este ano ter terminado em 30 de junho o prazo do modelo 22, uma declaração fiscal periódica de rendimentos relativos ao Imposto sobre o rendimento das Pessoas Coletivas (IRC), deixando apenas 15 dias para os contabilistas se dedicarem à IES, que termina a 15 de julho.

"Normalmente, entre as duas declarações distam 45 dias de prazo", a primeira declaração em 31 de maio e segunda em 15 de julho, lembrou o contabilista certificado.

A IES, uma declaração anual obrigatória para as empresas e para os empresários com contabilidade organizada, que permite cumprir várias obrigações declarativas num único ato, só pode ser feita depois de concluídas as declarações modelo 22 e de IRS.

"Como a Modelo 22 só se pode fazer a partir do fim de maio, resultou que - ao invés do desejado - se chegou a julho com 15 dias de prazo, com a esmagadora maioria das IES para entregar", explicou Vítor Vicente.

A IES deve ser entregue por sociedades comerciais, sociedades anónimas europeias, sociedades com sede no estrangeiro e representação permanente em Portugal, empresas públicas, estabelecimentos individuais de responsabilidade limitada, entre outras empresas.

O presidente da ANACO recordou que as declarações de IES só podem ser entregues por via informática no portal das finanças, e em 2017 foram entregues pouco mais de um milhão destas declarações.

"Neste momento, quando distam apenas três dias úteis do fim do prazo de entrega, estão em falta perto de 470 mil declarações", adiantou.

ver mais vídeos