Madeira

Dívidas da Madeira elevam défice para segundo maior desde o 25 de Abril

Dívidas da Madeira elevam défice para segundo maior desde o 25 de Abril

As dívidas omitidas pela Administração Regional da Madeira às entidades estatísticas aumentaram o défice orçamental de Portugal no final de 2010, em termos trimestrais, para o segundo maior valor de sempre, 5081 milhões de euros.

De acordo com os dados divulgados, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), o défice foi revisto para cima em 975 milhões de euros em 2010, cuja grande maioria teve impacto no último trimestre desse ano.

Com esta revisão, o défice dos últimos três meses de 2010 atinge o segundo maior valor de sempre e também supera pela segunda vez os cinco mil milhões de euros.

Pior que os últimos três meses de 2010, só mesmo em 2009, quando exactamente nos últimos três meses desse ano o valor do défice atingiu os 5880 milhões de euros, o ano em que o défice orçamental no final do ano atingiu o maior valor de sempre, em democracia, 10,1% do Produto Interno Bruto (PIB).

No entanto, a revisão do défice em 2010 coloca o défice total desse ano nos 9,8% do PIB, também o segundo maior valor em democracia e apenas a três décimas do seu máximo histórico.

As contas do INE demonstram que as dívidas não contabilizadas nem reportadas às entidades estatísticas que afectam o défice entre 2008 e 2010 são afinal de 1218,1 milhões de euros, superior aos 1113,3 milhões de euros que havia apontado a 16 de Setembro, quando em conjunto com o Banco de Portugal acusou a administração regional de omitir estas dívidas, uma "grave" irregularidade na opinião do INE, Banco de Portugal, Ministério das Finanças e primeiro-ministro.