PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Camionistas

FECTRANS diz que negociações com ANTRAM decorrem com "aproximações e distâncias"

FECTRANS diz que negociações com ANTRAM decorrem com "aproximações e distâncias"

As negociações entre a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Telecomunicações (FECTRANS) e a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) estão a decorrer "de forma normal", com "aproximações e distâncias", disse esta terça-feira fonte sindical.

"O processo negocial está a decorrer de uma forma normal, hoje foram discutidas uma série de matérias, algumas com aproximações e noutras ainda há distâncias", afirmou o dirigente da FECTRANS José Manuel Oliveira à Lusa, acrescentado que está agendada outra reunião para quarta-feira à tarde.

O dirigente sindical considerou que ainda é cedo para revelar quais os pontos de entendimento, uma vez que as negociações continuam e "nada é seguro enquanto o processo não terminar", mas sublinhou que "a matéria salarial é aquela em que há maior resistência por parte das empresas".

"Este é um processo que vai levar algum tempo, algumas semanas, não é para resolver amanhã", indicou José Manuel Oliveira.

A FECTRANS e a ANTRAM mantêm as negociações relativas à revisão do contrato coletivo do setor, mas os sindicatos Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) anunciaram já uma greve, com início em 12 de agosto.

Segundo o SIMM, a greve do dia 12 "vai ter repercussões muito mais graves das do passado mês de abril, pois esta greve está convocada e vai afetar todas as tipologias de transporte de todos os âmbitos".

O sindicato avisa que, além dos combustíveis, a próxima greve vai afetar também o abastecimento às grandes superfícies, à indústria e serviços, podendo "faltar alimentos e outros bens nos supermercados".

Entretanto, foi marcada para esta quarta-feira uma reunião na Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT), para planificar os serviços mínimos.