Energia

Fim da lâmpada de halogéneo. Lares portugueses poupam 90 euros com LED

Fim da lâmpada de halogéneo. Lares portugueses poupam 90 euros com LED

A União Europeia (UE) está empenhada em reduzir emissões de carbono, por isso as lâmpadas de halogéneo vão deixar de ser comercializadas a partir de 1 de setembro. Num lar típico, os portugueses podem poupar 90€ por ano na fatura da luz ao mudar para LED.

A retirada de lâmpadas menos eficientes do mercado tem vindo a ser feita pela UE há uma década. Desde 2009, têm vindo a ser banidas as lâmpadas incandescentes convencionais. Este ano, chegou a vez das lâmpadas incandescentes de halogéno, menos eficientes do que as fluorescentes ou do que as LED.

A mudança para LED das 5,1 mil milhões de lâmpadas instaladas nos lares europeus (cálculos da UE em 2006) pode poupar anualmente o equivalente ao gasto energético de Portugal e reduzir 15,2 milhões de toneladas de emissões de CO2, diminuindo a importação de 73,8 milhões de barris de petróleo.

Poupança

Para cada português, cujo lar possui, em média, 7,06 lâmpadas (INE), a mudança para LED fará diferença na fatura da luz desde o primeiro ano. Além de cada lâmpada LED durar até 15 vezes mais do que uma lâmpada incandescente, esta consome cerca de dez vezes mais eletricidade do que a primeira. Em vez de pagar 106,55€ por ano de eletricidade pode pagar pouco mais de 16,5€, poupando 90€, o que significa amortizar o investimento de 28€ na troca de lâmpadas em poucos meses.

Tal como outros objetos domésticos que evoluíram ou foram descontinuados (ver ao lado), a extinção das lâmpadas de halogéneo vai beneficiar a vida dos cidadãos e do planeta.