FMI

FMI alerta para ameaça do excessivo desemprego juvenil

FMI alerta para ameaça do excessivo desemprego juvenil

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, alertou, esta quinta-feira, para a ameaça que representam as elevadas taxas de desemprego e a criação insuficiente de emprego, especialmente no caso dos mais jovens.

Christine Lagarde recordou, num debate organizado durante a reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, em Tóquio, que o atual ritmo de crescimento global é insuficiente para criar os postos de trabalho necessários em todo o mundo e, por isso, apontou como um dos grandes desafios atuais "assegurar que haverá trabalho para os mais jovens".

No caso de não se enfrentar esta situação, a diretora-geral do FMI alertou para o risco de milhões de pessoas não conseguirem regressar ao mercado laboral.

O fundador do Fórum de Davos, Klaus Schwab, apontou o caso de Espanha, onde "o desemprego juvenil ronda os 50%" e onde considera que se deve promover a reintegração no mercado laboral dos jovens para evitar uma "geração perdida".

Para Klaus Schwab, outro grande desafio a longo prazo é preparar a transformação do mercado laboral do futuro, "porque os empregos de amanhã não terão que ver com os de hoje" e, nesse sentido, alertou para a necessidade de se dotar as novas gerações de capacidade para elas próprias criarem emprego.

No fórum participaram ainda o ministro das Finanças japonês, Koriki Jojima, que salientou a importância do desenvolvimento de setores como as energias renováveis, e a presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, que apontou a necessidade de se investir nos países emergentes, onde, disse, surgirá muita oferta de emprego no futuro.

Imobusiness