Economia

Fortuna dos mais ricos de Portugal aumentou 17,8%

Fortuna dos mais ricos de Portugal aumentou 17,8%

Américo Amorim continua a ser o homem mais rico de Portugal, com uma fortuna de 2,6 mil milhões de euros. A listagem anual, publicada pela revista "Exame", revela que, em relação a 2010, as 25 maiores fortunas do país cresceram, no seu conjunto, 17,8%. De resto, novidades só... na fortuna de Belmiro de Azevedo, que apenas subiu 1,1%, empurrando-o para um terceiro lugar.

É já o quarto ano consecutivo que Américo Amorim mantém a liderança da lista dos portugueses mais ricos. O homem forte do grupo que ostenta o seu nome, que tem como grandes activos as participações na Corticeira Amorim e na Galp Energia, viu a sua fortuna ascender aos 2,6 mil milhões de euros. Ou seja, mais 18,2% face ao ano anterior.

Recorde-se que Américo Amorim lidera a lista dos portugueses mais ricos desde 2008. Recorde-se, também, que em 2009 despediu 195 trabalhadores - muitos deles seus seguidores há décadas - tendo, então, explicado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários que o fazia devido à necessidade de adequar a produção à queda da procura .Os resultados estão, agora, à vista.

Em época em que é impossível deixar de ouvir falar, diariamente, de crise - ele é nos jornais, na televisão, nos transportes, na rua e até num relaxante passeio à beira-mar - notícias como este "Top 10" das fortunas portuguesas da revista Exame soam como uma lufada de ar fresco. Assim, deixa-se de ouvir falar de cintos que se apertam e vacas que emagrecem para ficar a saber que o conjunto das 25 maiores fortunas de Portugal cresceu 17,4 mil milhões apenas no espaço de um ano. Ou seja, somam mais 17,8% do que em 2010.

Outro dado reconfortante que a edição de Agosto da revista Exame realça é que o conjunto das 25 maiores fortunas portuguesas equivale a 10,1% do Produto Interno Bruto português de 2010, a preços de mercado.

Mais novidades? Belmiro de Azevedo deixou o segundo lugar do ranking porque a sua fortuna não subiu mais do que 1,1%. O que é isto comparado com o incremento de fortuna na ordem dos 88,9% de Alexandre Soares dos Santos, presidente do Conselho do grupo Jerónimo Martins? É ele que, com uma fortuna de 1,9 mil milhões, arrebatou o segundo lugar do Top10. Recorde-se que, em 2004, o homem do "Pingo Doce" não conseguia contar mais do que 330 milhões de euros na sua fortuna.

Outra entrada notável na lista das 10 maiores fortunas portuguesas coube à família Alves Ribeiro. Os investimentos no Banco Invest e na Alves Ribeiro Construções, entre outros, valeram-lhe somar uma fortuna de 779,7 milhões de euros, digna de um quinto lugar na listagem.

Para o último - mas mesmo assim invejável - lugar dos "10 mais" entrou António da Silva Rodrigues, do Grupo Simoldes. A posição foi conquistada graças ao aumento de 5,9% da sua fortuna, que passou a ser de 551 milhões de euros.

Outra curiosidade é o facto de a listagem das 10 maiores fortunas contar com o nome de quatro mulheres. Dentre elas, a que mantinha o epíteto da mulher mais rica de Portugal - Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo - sofreu uma queda abrupta do 5.º para o 8.º lugar. Tudo isto porque o "seu pé-de-meia" caiu 3,6%, ficando-se pelos 645,8 milhões.

Entre as famílias portuguesas mais abastadas continua a Guimarães de Mello, que ocupa o quarto lugar, mesmo tendo visto a sua fortuna cair 1% ao ser avaliada em 1006 milhões de euros.

Quem estava à espera de ouvir falar do empresário madeirense Joe Berardo ou das herdeiras de Horácio Roque, presidente do grupo Banif, fique a saber que desapareceram da listagem dos Top10.

Imobusiness