PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Economia

Governo promete negociar com troika incentivos ao investimento

Governo promete negociar com troika incentivos ao investimento

O Governo vai negociar com a 'troika' medidas de apoio ao financiamento da economia e incentivos ao investimento, no âmbito da próxima avaliação do memorando de entendimento, afirmou hoje o ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira.

"Em 2012, é muitíssimo mais complicado [atrair investimento] e, por isso, entendemos que nos próximos meses temos que avançar com um pacote de incentivos ao investimento, através de um regime fiscal reforçado e de políticas de apoio ao investimento nacional e internacionais mais arrojadas", afirmou o ministro da Economia, na comissão de Economia e Obras Públicas, na sequência de um requerimento potestativo do PS.

Álvaro Santos Pereira adiantou que pretende "falar com os parceiros internacionais para reforçar o músculo para conseguir atrair o investimento".

Também no âmbito da sexta avaliação, o Governo pretende sensibilizar a 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) para a necessidade de apoios ao financiamento das empresas e, em especial, das Pequenas e Médias Empresas (PME).

"É fundamental que a Europa perceba que não é possível ter uma união monetária a duas velocidades e impedir que países, como Portugal, possam rever a sua política comercial ou de concorrência", declarou.

Álvaro Santos Pereira adiantou que o Governo tem desenvolvido esforços para "incitar" a banca "a conceder mais crédito às PME".

"É dever da banca portuguesa criar mecanismos para ajudar ao financiamento das empresas. A eventual criação de um banco de fomento também pretende financiar as PME", acrescentou.

Álvaro Santos Pereira foi ao Parlamento, acompanhado por três secretários de Estado -- Energia, Transportes e Obras Públicas e Turismo -, para explicar as medidas que tomou para evitar o abandono do projeto do grupo SAIP, liderado por José Roquette, para o Alqueva, que, adiantou, estava "bloqueado" quando o atual Executivo tomou posse.

"Durante os seis anos [do Governo PS] havia capacidade financeira do promotor e por parte da banca. Deviam perguntar como levou seis anos a licenciar este projeto", defendeu Álvaro Santos Pereira, na Comissão de Economia e Obras Públicas, na sequência de um requerimento potestativo do PS.

O ministro da Economia afirmou que quando o Governo tomou posse, em junho de 2011, "o projeto já estava bloqueado" e, depois de vários esforços para a reestruturação do financiamento do sindicato bancário, o BPI aprovou, mas a CGD não.

"Para quem defende que o Governo deve desautorizar a equipa de análise de risco da CGD que o assuma em público. Não nos substituímos aos responsáveis destas instituições", declarou.