Economia

Grandes contribuintes dão 20 mil milhões de euros ao Estado

Grandes contribuintes dão 20 mil milhões de euros ao Estado

A Unidade dos Grandes Contribuintes (UGC) conseguiu arrecadar 20,2 mil milhões de euros de impostos num universo de 45,1 mil milhões de euros, de acordo com dados ainda preliminares fornecidos ao JN/Dinheiro Vivo pelo Ministério das Finanças.

É quase 45% do total da receita fiscal arrecadada no ano passado.

Em relação a 2017, esta unidade conseguiu mais 1,2 mil milhões de euros e, face a 2016, o valor é ainda mais expressivo com uma subida superior a 4,5 mil milhões de euros. É certo que o número de contribuintes acompanhados por esta unidade especial do Fisco tem vindo a aumentar ao longo dos anos.

No ano passado, a UGC acompanhou 2609 empresas e 758 contribuintes individuais. No caso das sociedades, são entidades com volume de negócios superior a 200 milhões e com um valor global de impostos pagos superior a 20 milhões de euros. Quanto aos particulares, são contribuintes com um rendimento acima de 750 mil euros por ano e/ou património imobiliário com uma avaliação superior a cinco milhões de euros.

No total, são 3367 contribuintes, mas que têm um peso significativo na receita arrecadada pelo Fisco, daí a importância que assumem e por isso foi alargado o âmbito desta unidade criada em 2012.

"Devemos olhar para a UGC como uma das áreas da Administração Tributária em que não temos que ter uma permanente desconfiança", afirmou o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, ontem, na audição na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa.

António Mendonça Mendes lembrou medidas como o alargamento da UGC aos contribuintes individuais. "Quadruplicámos a lista de entidades que são seguidas pela Unidade dos Grandes Contribuintes", sublinhou ainda Mendonça Mendes perante os deputados.

Empresas

No ano passado, a unidade especial do fisco acompanhou mais de 2600 sociedades com um volume de negócios superior a 200 milhões e com um valor global de impostos pagos superior a 20 milhões de euros. A lista de empresas foi atualizada em janeiro por despacho da diretora-geral do Fisco.

Particulares

A lista de particulares acompanhados pela Unidade dos Grandes Contribuintes não foi além das 758 pessoas. São contribuintes com rendimentos anuais superiores a 750 mil euros ou património avaliado em mais de cinco milhões. Ao contrário das sociedades, desconhece-se a identidade.

Imobusiness