aviação

Lucro da TAP sobe para 34 milhões em 2013

Lucro da TAP sobe para 34 milhões em 2013

A TAP registou um lucro de 34 milhões de euros em 2013, uma subida de 42% em relação a 2012, completando cinco anos consecutivos de resultados positivos.

As receitas de 2013 totalizaram 2480 milhões de euros, um crescimento de 2% face aos 2436 milhões apurados no ano anterior, com as receitas de passagens a subirem 5% para 2217 milhões de euros.

O EBITDA (resultados antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) passou de 156 milhões de euros em 2012 para 154 milhões de euros no ano passado.

Os resultados da TAP SA foram apresentados pelo presidente da companhia, Fernando Pinto, e pelo administrador Michael Connely, numa conferência de imprensa em Lisboa.

A TAP "é uma empresa que, apesar da crise, cresce", afirmou Fernando Pinto, sublinhando que, desde 2009, a companhia aérea apresentou sempre resultados positivos.

Em 2009, a TAP SA registou um lucro de 60 milhões de euros, em 2010 de 62 milhões de euros, em 2011 de três milhões de euros e em 2012 de 24 milhões de euros.

Os custos de exploraçãoregistaram um aumento de 2%, passando de 2226 milhões em 2012 para 2264 em 2013.

Em 2013, a dívida líquida da TAP baixou de 791 milhões de euros para 585 milhões de euros, passando de 32% do total das receitas para 24%. A dívida total baixou para 842 milhões de euros no ano passado.

A TAP "é uma empresa que reduz o endividamento", destacou o presidente da companhia, acrescentando que a transportadora aérea "tem sido uma das maiores exportadoras portuguesas".

Fernando Pinto salientou ainda o facto de a TAP ter criado, "entre 2013 e o início de 2014", 600 empregos diretos, para "pessoas com formação, altamente habilitadas".

"Duvido que a totalidade das 'low cost' [companhias aéreas de baixo custo] que operam aqui, em Portugal, gerem 600 empregos neste período", disse.

Estas admissões, que exigiram autorização do Governo, visam dar resposta ao crescimento da companhia, mas também compensar as saídas verificadas no ano passado, como explicou o presidente da TAP: "Perdemos 50 técnicos [de manutenção] e pilotos perdemos 20".

Em 2013, a TAP transportou mais 517 mil passageiros, atingindo um recorde de 10,7 milhões de passageiros transportados.

A companhia aérea liderada por Fernando Pinto e que está na lista de privatizações do Governo manteve em 2013 a oferta nos níveis de 2012, mas a procura aumentou 3,4%, o que se traduziu na melhoria da taxa de ocupação dos aviões, que passou de 76,8% para 79,4%.

Este ano, a TAP vai acrescentar seis aviões à sua frota, o que lhe permitirá abrir dez novos destinos (Belém, Manaus, Bogotá, Panamá, Nantes, Gotemburgo, Belgrado, Hanôver, Talim e São Petersburgo) e reforçar outros, o que representa um incremento da oferta de 8%, que a companhia afirma ser o "maior aumento de sempre num único ano".