PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Leilão

Mercedes português único no Mundo à venda por 400 mil euros

Mercedes português único no Mundo à venda por 400 mil euros

Um Mercedes 600, único no Mundo, que pertenceu ao filho de Nubar Gulbenkian (filho de Calouste Gulbenkian) vai ser leiloado, em setembro, na Comporta, em Alcácer do Sal, pela leiloeira Sothebys. Estima-se que possa atingir os 400 mil euros.

A marca alemã produziu, entre 1963 e 1981, 2677 unidades do 600, um dos seus modelos mais luxuosos e carro de eleição de personalidades do mundo da moda, da politica, da música. Foi produzida uma versão especial para o Sumo Pontífice Paulo VI, tendo sido utilizado durante 20 anos por três Papas.

O exemplar que irá à praça num leilão a decorrer entre os dias 20 e 21 de setembro, foi o 293º produzido em 1966 e é único por ter um tejadilho inteiramente em vidro. Terá sido, provavelmente, o automóvel de estrada mais caro do mundo naquele ano.

Mas o carro tem uma história única. Nubar Gulbenkian perguntou à Mercedes se era possível construírem-lhe um 600 com tejadilho inteiramente em vidro. Perante a recusa do fabricante, o filho do magnata do petróleo encomendou um 600 limousine de série através de um concessionário francês, usando um nome falso.

Já com o veículo na sua posse, e matriculado em Portugal, Nubira enviou-o para a reputada empresa parisiense de Henry Chapron, que fabricava carroçarias, onde foi modificado, com destaque para o tejadilho em vidro. A Sothebys destaca que, "para que o seu proprietário pudesse olhar para as estrelas, o banco traseiro reclinava-se, transformando-se numa cama de casal".

Consulte aqui mais pormenores sobre a coleção "Sáragga"

Couro por todo o lado

Nubira Gulbenkian fez outras pedidos à Henry Chapron, como espelhos de mão nos painéis das portas, suportes especiais para cachimbo e um frigorífico entre os assentos.

O funcionamento do automóvel podia ser seguido, nos bancos traseiros, através de velocímetro e um medidor de combustível, instalados no compartimento traseiro. "Não existem painéis de madeira, o que é pouco usual num 600, já que foram substituídos por couro sumptuoso. O seu proprietário era obcecado pelos detalhes", refere a leiloeira.

Herdado por jardineiro português

Nubira Gulbenkian morreu em 1972 e deixou o Mercedes em testamento ao jardineiro português que cuidava da sua casa em Cannes e este enviou-o para Portugal, onde ficou guardado até 1982.

Foi depois comprado pelo colecionador José Mira, e mais recentemente passou a integrar a coleção Sáragga (que tem cerca de 130 exemplares e vai ser toda leiloada), encontrando-se na zona da Comporta, em Alcácer do Sal.