Negociações

Motoristas de transporte de passageiros do Norte em greve

Motoristas de transporte de passageiros do Norte em greve

Os motoristas do setor privado de transporte de passageiros do Norte vão estar em greve a partir de 05 de maio, depois de terem falhado as negociações com a ANTROP com vista ao aumento do salário base dos trabalhadores.

Em declarações à Lusa, o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN), José Manuel Silva, explicou que, na reunião de hoje, não foi possível chegar acordo com a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP), pelo que se mantém a greve de 15 dias com início a 05 de maio.

Em causa a subida do salário base dos trabalhadores para os 685 euros, valor que o sindicato sempre garantiu não estar disposto a negociar.

Os trabalhadores reclamavam ainda a redução para três horas do período de "intermitências", bem como o pagamento de oito horas de subsídio de "agente único".

De acordo com o STRUN, a greve de 15 dias decorrerá a partir das 19 horas de 5 de maio até às 10 horas de 19 de maio e ao contrário da greve de 12 dias que se realizou entre 25 de março e 05 de abril, os motoristas farão uma paralisação parcial, "entre as 19 horas de um dia e as 10 horas do dia seguinte".

Em comunicado enviado à Lusa a 12 abril, data que o sindicato anunciou que ia entregar o pré-aviso de greve como resposta ao pedido de adiamento de reunião por parte da ANTROP, o STRUN dizia acredita que, a concretizar-se, esta greve terá uma adesão ainda mais participada, nomeadamente com adesão de trabalhadores de outras empresas que não participaram na paralisação anterior.

"Há trabalhadores de várias empresas que na última luta não aderiram, uns porque foram enganados pela própria comissão de trabalhadores da empresa, outros porque pensavam que não haveria tanta adesão, e alguns porque souberam que a sua entidade patronal tinha chegado a acordo com os colegas numa das empresas do grupo, dando aumentos para que eles não fizessem greve, e pensaram que iria acontecer o mesmo na deles, o que não veio a acontecer. Muitos destes trabalhadores já contactaram o STRUN no sentido de aderirem à próxima greve", lia-se na nota.

Segundo o sindicato, para já não está agendada qualquer reunião com a ANTROP.

Em declarações à Lusa, o presidente da ANTROP, Luís Cabaço Martins, afirmou, contudo, que para a associação, as negociações ainda não estão fechadas, aguardando ainda, uma resposta definitiva do sindicato à contraproposta apresentada, o que deve acontecer no decorrer da próxima semana.

Imobusiness