CCDR-N

Norte assegura quase 40% das exportações de Portugal

Norte assegura quase 40% das exportações de Portugal

A Região Norte reagiu à crise e à diminuição da atividade em 2009, aumentando as suas exportações.

Em 2015, as vendas de bens ao exterior das empresas com sede na região representaram 19 346 milhões de euros, ou seja, somaram 38,8% no total das exportações do país.

São dados revelados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDR-N), no relatório trimestral Norte Conjuntura, a que associaram um novo capítulo - "Norte Estrutura: a Região Norte no Comércio Internacional de Bens" -, onde apresentam os resultados de exportação e importação das empresas da região.

Assim, em 2015, as importações pelas empresas do Norte representaram um peso de 22,9% no total nacional, com um valor de 13 797 milhões de euros, gerando um excedente de 5548 milhões de euros.

No documento da CCDR-N é revelado que, "nos últimos quatro anos (2012 a 2015), o excedente gerado pela participação da Região Norte no comércio internacional de mercadorias situou-se entre 5 e 5,5 mil milhões de euros por ano e a taxa de cobertura tem sido superior a 140%".

Salienta-se ainda que "a orientação exportadora da Região Norte reforçou-se nos últimos anos, passando de 24,1%, em 2009, para 36,2%, em 2015, superando os registos anteriores à crise internacional".

As exportações do Norte centram-se em diversos produtos, tendo por base o que são as produções tradicionais. No ano passado, representaram 41,8% das exportações do Norte.

As matérias têxteis continuam a ser a principal exportação, representando 19,4% do total, em 2015. Neste setor, destaca-se o vestuário, com uma fatia de 9% dos têxteis.

Ainda nos produtos tradicionais, segue-se o calçado (9%), os móveis (6,2%), os produtos de cortiça (4,1%), e as bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres (3,1%).

Mas o Norte diversificou, e começou a exportar máquinas (14,9%), produtos da fileira do automóvel (9,2%), metais (8,3%) e borrachas (9,2%).

Espanha é o principal comprador, que recebeu 25,6% das exportações da região. A CCDR-N refere que "mais de 60% das exportações do Norte dependeram de quatro mercados: Espanha, França, Alemanha e Reino Unido". Fora da União Europeia (UE), são parceiros os EUA e Angola.

Quanto às importações, o Norte compra sobretudo a Espanha e à Alemanha. Só do país vizinho vieram 36,5% das mercadorias. Estes dois mercados de origem garantem praticamente metade das importações da região. Fora da UE, China, Índia e Turquia foram os principais fornecedores.