Economia

O escândalo da Volkswagen em nove pontos

O escândalo da Volkswagen em nove pontos

Nove pontos sobre o escândalo da falsificação dos gases de escape da gigante alemã Volkswagen.

Quantos veículos foram afetados?

Depois da investigação efetuada nos EUA, detetaram-se cerca de 11 milhões de veículos em todo o mundo com motores EA 189, que enganaram os testes sobre as emissões de gases poluentes.

Quais os modelos detetados?

Pelo menos seis modelos da Volkswagen e um da Audi foram investigados e sabe-se estarem a usar o software fraudulento:

Jetta (2009-2015), Jetta Sportwagen (2009-2015), Golf (2010-2015), Beetle (2012-2015), Passat (2012-2015), Golf Sportwagen (2015) e Audi A3 (2010-2015).

Alguns modelos da Skoda poderão estar a usar o mesmo software: Fabia, Roomster, Octavia e Superb, dos anos 2009 a 2013, que tenham motores diesel 1,6 e 2 litros.

Desde 2009 que também a Seat, filial espanhola deste grupo alemão, tem montado nos seus veículos mais de meio milhão de motores adulterados.

Apesar da marca BMW negar o uso deste tipo de motores, a revista alemã "AutoBild" afirmou, citando informações do Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT), que as emissões do modelo a diesel X3 xDrive é 11 vezes superior ao permitido.

Como foi descoberta a fraude?

Em maio de 2014, uma organização independente detetou discrepâncias chocantes entre as emissões poluentes obtidas pelos veículos da Volkswagen em laboratório e as registadas em estrada.

Nos EUA, especialistas do setor industrial automóvel instalaram uma sonda num Volkswagen Jetta e num Passat. Descobriram que os carros emitiam, respetivamente, entre 15 a 35 vezes e cinco a 20 vezes mais óxido de nitrogénio do que a lei permite. O anúncio da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) foi feito no passado 18 de setembro.

A Volkswagen admitiu, no domingo passado, o esquema fraudulento para encobrir os valores reais de emissão de gases dos veículos e ainda que se estendia aos motores 1.6, desde o ano de 2009 até este ano.

A Seat também já admitiu o uso dos mesmos motores diesel nos seus carros, dizendo que está a contabilizar os automóveis em questão. A empresa disse ainda que já não usa aquele tipo de motor.

Existe um valor máximo a cumprir que a EPA estipulou, de forma a proteger a saúde humana e o meio ambiente.

Como conseguiram enganar os testes de fiscalização?

Na fase de construção dos veículos, foi colocado um software no modelo de controlo eletrónico com a capacidade de detetar se o carro está em movimento ou em testes. Para isso, eram analisados a posição do volante, velocidade, o tempo de utilização do motor e a pressão barométrica. Quando o software deteta um teste de certificação aciona a tecnologia anti-poluição "Dyno-calibration".

Quando o veículo está a ser conduzido, o software ativa o mapeamento original do veículo, reduzindo a eficiência do controlo de emissões, chamado "Road-calibration".

Quem é o principal responsável?

O líder do grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, assumiu as responsabilidades pelo escândalo fraudulento da indústria automóvel, quando apresentou a sua demissão: "Como presidente executivo, aceito a responsabilidade pelas irregularidades que foram encontradas nos motores a gasóleo".

O que é NOx?

NOx é a fórmula química de óxido de azoto, formado pela combinação de oxigénio com nitrogénio. Os óxidos de azoto são resíduos do processo de combustão do motor do carro - queima de combustíveis fósseis -, que são libertados pelo cano de escape para a atmosfera.

Que efeitos tem o NOx na saúde e no ambiente?

Estes gases podem ser altamente poluentes, dependendo da quantidade emitida. À saúde humana causam problemas respiratórios e cardiovasculares. Ao ambiente destroem a camada de ozono, são responsáveis pela chuva ácida (quando reagem com oxigénio e água) e pelo smog fotoquímico - nevoeiro composto por vários poluentes, entre eles óxido de azoto, e visível em áreas urbanas.

O que fez a Europa?

A Comissão Europeia pediu a todos os estados-membros para abrirem "os inquéritos necessários a nível nacional e um relatório", defendendo "tolerância zero quanto à fraude e o respeito escrupuloso das regras da União Europeia (UE)", anunciou em comunicado.

A Procuradoria-Geral alemã abriu, na passada quarta-feira, uma investigação preliminar à questão das acusações de manipulação de emissões dos veículos a gasóleo da Volkswagen.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, disse, numa conferência de imprensa em Berlim, que o Governo português está a acompanhar em conjunto com as autoridades alemãs o caso da Volkswagen e eventuais implicações deste para a Autoeuropa.

Quais as principais consequências do escândalo:

O grupo Volkswagen enfrenta uma multa que pode ir até aos 18 mil milhões de dólares (cerca de 15,9 mil milhões de euros).

A empresa Volkswagen acumulou uma perda de 35% das ações durante os primeiros dias depois do escândalo se tornar público.

O líder do grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, demitiu-se na passada quarta-feira , depois de assumir a responsabilidade pelas irregularidades encontradas nos veículos e de achar que a empresa precisa de um novo começo: "Solicitei ao Conselho de Supervisão a minha renúncia como CEO do grupo Volkswagen".

O atual presidente da Porsche, Matthias Mueller, foi o escolhido para substituir Winterkorn no cargo de presidente-executivo do grupo Volkswagen.

Em Portugal, os anúncios online de veículos Volkswagen triplicou relativamente às ultimas seis semanas.

ver mais vídeos